Resenha: Caçadores de Trolls - Guilherme Del Toro e Daniel Kraus

outubro 13, 2016 / Redação SOODA /

Os Trolls finalmente ganham seu protagonismo, numa história recheada de clichês que divertirá crianças e talvez alguns adultos




Caçadores de Trolls (Trollhunters)
Autores: Guilhermino del Toro, Daniel Kraus
Ano: 2015
Skoob: 3,7 Estrelas/ Goodreads: 3,42 Estrelas
Compre Aqui
3 Estrelas
O estilo inconfundível e marcante de Guillermo del Toro, sempre envolvendo universos mágicos, criaturas fantásticas e histórias espantosas, está presente em toda a sua obra como cineasta, roteirista, produtor e autor. Em Caçadores de trolls ele presenteia os leitores com uma história sombria e de dar arrepios, com ilustrações capazes de nos transportar para um mundo paralelo apavorante.
Jim Sturges é o típico adolescente na cidade de San Bernardino: tem um pai superprotetor, um melhor amigo meio desajeitado e uma paixão platônica por uma menina que nem sabe que ele existe. Mas isso tudo muda quando um mistério de décadas ressurge, ameaçando a vida de todos os moradores da entediante cidadezinha. Junto com um grupo de heróis improváveis, Jim terá que enfrentar monstros com um gosto especial por carne humana.
Autores: Guilhermino del Toro é um autor premiado, especialmente em obras cinematográficas como O Labirinto do Fauno, Hellboy e A Colina Escarlate e Daniel Kraus também é um escritor premiado, como livros de terror e roteiros para o cinema.



Quando olhei para esse livro e vi "Guilherme Del Toro", só pensei: "Tem coisa boa por aí", afinal a participação do famoso diretor conhecido por obras como "Labirinto do Fauno", "Colina Escarlate" e sua participação em filmes como "Festa no Céu", nos mostra que o livro tem tudo para da certo. E quase deu.

" Você é o jantar. Esses músculos que você usa para caminhar. sorrir e abraçar? São pura carne revestida com tendões borrachudos. Essa pele que você tanto olha no espelho? É uma delicia para os paladares certos, um ensopado de textura suculenta (...)"


O livro caçadores de Trolls, começa à 45 anos atras em 1969, onde crianças estavam desaparecendo sem nenhuma explicação aparente. Nesse contexto, conhecemos Jack e Jin, duas crianças que estavam andando "de boas" de bicicleta, até que uns trolls os atacam, levando jack e deixando Jin traumatizado pelo resto da vida.

Jin, cresce e tem um filho, James, um adolescente nerd que vive dentro de casa, pois jin possui o medo de que a mesma coisa possa acontecer com o seu filho, possuindo uma superproteção sinistra e estranha que acabou causando o fim de seu casamento. James, possui um amigo, o Bola. Os dois são zoados na escola até não querer mais, além de que são submetidos a bullying´s diários, provocados pelos valentões da escola (meio clichê, mas não um clichê legal, chato mesmo).

De repente, as crianças voltam a sumir misteriosamente (será maldição). Até que em uma das noites, aparecem criaturas horrendas para James, querendo leva-lo, após alguma luta, esses montros conseguem pegar ele e Bola para um mundo subterrâneo, recheados desses bichos horrendo, denominados trolls. Nesse momento, ele descobre que na verdade ele é um Caçador de Trolls e que precisa destruir um dos maiores Trolls já existentes, responsável pelo sumiço das crianças, e assim finalmente a paz pode ser restabelecida na Terra, porém se a missão dele não for um sucesso, um portal pode se abrir e os trolls tomarão conta de nosso planeta (Nãããããããããããããão).

"Era uma cidade inteira de trolls. O cenário de passagens estreitas e estruturas irregulares se estendia por dois quilometros antes de mergulhar na escuridão. Por toda parte havia pequenas moradias de terra batida, mas quase todas vazias."(p. 83)


Para quem não sabe Trolls são criaturas presentes na mitologia escandinava, normalmente descritas como gigantes horrendos que vivem em crateras, ou grutas subterrâneas, tem aparência de humanoides e são extremamente agressivos. Eles são até bem comuns nas histórias fantásticas, a exemplo de Harry Potter e Senhor dos Anéis.

Na história criada por Guilherme Del Toro e Daniel Kraus eles não seriam diferentes, porém de acordo com a história ele já não são tão maus assim e se alimentam de outros animais que não sejam seres humanos, porém um deles, o mais maligno de todos, continua querendo se alimentar de crianças, e força outros trolls mais fracos a levar alimentos para ele, como se ele fosse um rei do bando.

Nesse ponto que entram os caçadores de trolls, para tentar fazer acabar com isso, porém é necessário mata-los, e poucos possuem essa habilidade (detalhe para mata-los é necessário atingir seus pontos vulneráveis e destruir suas vesículas para que eles não voltem a nascer). Um deles é James que é de uma família conhecida por ser caçadora de trolls.

Existem pontos bem interessantes, entre eles é a presença de Trolls que não são maus, como Rááááá (Uma espécie de dragão) e Pisca-Pisca (tipo um polvo com 8 olhos) e trabalham junto com os caçadores para destruir gunnar (O pior de todos os Trolls). Além disso, o livro é bem descritivo e as imagens colaboram muito para criar as feições dos personagens em sua cabeça. Isso é bem característico de Guilherme del Toro, criar personagens com características físicas bem forte (vide personagens do Labirinto do Fauno) e essa beleza (mesmo que cruel) é passada para a escrita da obra.

Nesse processo temos um contraponto, daquilo que mais deu certo no livro, foi o que deu mais errado também. As descrições nos livros são maravilhosas, porém existem algumas que são enfadonhas e desnecessárias a exemplo, das cenas de bullying, que são altamente trabalhadas nos clichês, onde jovens (coincidentemente dois), sofrem na escola por causa de valentões e querem se livrar disso (todos querem) e que pouco acrescenta na personalidade dos personagens. E sim, acho que o livro se prendeu boa parte do tempo, no sofrimento deles, e esqueceu um pouco dos Trolls, especialmente, nas primeiras 100 páginas.


É claro que isso afetou no meu conceito geral em relação a obra, porém não deixa de ser interessante, porque traz esses personagens da mitologia nórdica para o protagonismo, pouco vemos isso. Afinal, eles normalmente são coadjuvantes (maus e burros) de outras obras literárias. E aqui eles são mostrados como seres que podem ser inteligentes (tantos os bons quanto os maus), capazes de destruir o mundo se quiserem.

No mais, acredito que o livro poderá se tornar uma boa obra cinematográfica, "onde poderemos conhecer os Trolls, na visão do diretor que consegue transformar tudo que seria feio em belo"

Essa semana a Netflix lançou o trailer da animação que será lançada esse final de ano, confira, fiquei bem empolgado depois desse trailer



A edição brasileira, feita pela editora Intrínseca, está realmente muito boa, com a capa que imita "veludo" e com muitas ilustrações, que estão em folhas de papel Couchê (mesmo de revista) e a fonte, tamanho e espaçamento estão ótimas para leitura, e acho esse papel que a Intrínseca usa, ótimo para conservação. No mais espero que vocês tirem suas próprias conclusões.


É isso Soodinhas, espero que tenham gostado e até a próxima. Não esqueçam de comentar aqui embaixo.

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram