Resenha: Cidades de Papel (Filme)

agosto 23, 2015 / Everton Assis /



Cidades de Papel (Paper Towns)
Direção: Jake Schreier
Duração: 1h49min
Lançamento: 9 de julho de 2015
País: EUA
Aventura , Romance , Drama
3 Estrelas

A história é centrada em Quentin Jacobsen (Nat Wolff) e sua enigmática vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman (Cara Delevingne). Ele nutre uma paixão platônica por ela. E não pensa duas vezes quando a menina invade seu quarto propondo que ele participe de um engenhoso plano de vingança. Mas, depois da noite de aventura, Margo desaparece – não sem deixar pistas sobre o seu paradeiro.

Cidade de Papel é uma história baseada no romance de John Green, um dos grandes escritores para o público infanto juvenil da atualidade. Conta a história de Quentin um jovem apaixonado por sua vizinha desde a infância, da qual era grande amigo, mas foi se afastando até que um dia a poucos dias do baile, ela decidiu realizar uma vingança para o seu namorado, após uma traição. No outro dia, Margo some, deixando pistas, da qual levar Quentin a viver um aventura intensa junto de seus antigos e novos amigos.

Primeiro, gostaria de ressaltar que ao lerem uma crítica, seja ela qual for, tentem passar pelo crivo. Eu cheguei a ouvir várias críticas desse filme, no sentido de “não perca o seu tempo”. No mínimo essas críticas não conseguem perceber a intenção do filme, o público da qual ele é direcionado e que acima de tudo, os filmes, principalmente em Hollywood tem como perspectiva a venda de ingressos, no qual acho que esse filme conseguiu, então fechando esse parêntese, vamos a minha singela opinião sobre esse filme.

O filme tem uma história bem construída, com um modo peculiar de John Green que aproxima os personagens à linguagem dos adolescentes, afinal, conversar sobre primeira vez, não é algo que absolutamente um adulto faça, pelo menos não aqueles que eu conheça, enfim, mas são fatos que deixam o filme bem engraçado e até fofo, faz a gente se lembrar de quando passamos por isso, pelo baile de formatura e por aí vai.



Nesse contexto, após o sumiço de Margo, Quentin decide procura-la junto com seus amigos, através das pistas que ela deixou. Interessante perceber que a moral não parte do princípio de um relacionamento entre um casal, mas supera essa fase, comum nos filmes adolescentes. Outro ponto a se destacar que fica marcante e que não vale só para os jovens, mas para todos é que as vezes ficamos fixos no nosso objetivo final que esquecemos que o mais importante não é o resultado, nunca foi, mas sim o caminho percorrido para chegar nele, que irá trazer experiências tão gratificantes, que valem bem mais do que o fim.

No mais, vale a pena você ir até o cinema para tirar suas próprias conclusões, ciente das adversidades e que as vezes análises comparativas nos fazem ficarmos abtolados em determinado resultado, não deixando que o filme nos surpreenda.

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram