Discussão: A Garota no Trem e Seus Desdobramentos

setembro 11, 2015 / Redação SOODA /

O livro A Garota no Trem é um Thriller psicológico, criado por Paula Hawkins que levanta muitas questões interessantes, que vale a pensa discutir, afinal se trata de vida real


resenha, garota no trem, paula hawkins

Histórias como essas podem acontecer, ao nosso lado, pensando nisso, a autora colocou em seu site, perguntas que valeriam para discussão. Então colocamos essas perguntas aqui, com as nossas opiniões e depois, queremos ouvir vocês, o que tem para nos contar?

Ps:. As perguntas abaixo não estão em tradução literal, e visam somente incitar as discussões referente ao livro e contem spoiler.

1 – Nós fazemos isso, assistimos frequentemente a vida a redor da gente, como uma curiosidade Voyeuristica, a atitude de Rachel não é tão usual. Então na sua opinião, porque você acha que temos o impulso de fazer isso? Você acha que esse jeito em Rachel é mais grave que em nós? O que é tão diferente em Rachel?
Nossa Opinião: Acredito que é comum a gente fazer isso, tentar materializar as situações, torna-las menos abstratas, acaba sendo uma fuga de nossos próprios problemas, não é verdade? Se não Reality Shows como Big Brother Brasil, A Fazenda não fariam tanto sucesso. E normalmente como Rachel fazia, nós costumamos idealizar as pessoas, e acabamos nos decepcionando quando elas não são aquilo que imaginamos. No caso de Rachel, acho que isso é um pouco mais forte, levando-se em consideração a vida que ela estava levando, os problemas pelos quais estavam passando. Então essa posição de Voyeurismo acaba sendo uma válvula de escape. Ela idealizava no casal, aquilo que ela queria em sua vida, e quando a história que ela idealizou sai pela culatra, é a oportunidade que ela viu em consertar o que ela nunca quebrou. Não faria igual a Rachel, talvez só observaria o casal, e imaginaria, mas depois de um tempo, passaria a me focar em outra coisa

2- Voce teria a mesma reação de Rachel, se tivesse no lugar dela? Se tivesse visto uma pilha de roupas, e faria analogia, só por causa dos rumores do desaparecimento de Megan Hippwell? O que você faria diferente?
Nossa Opinião: É provável que não, na verdade nem perceberia que houve um desaparecimento, talvez pela repercussão do caso, teria um sentimento de proximidade, porque enfim, costumamos criar empatias com desconhecido, depois que eles sofrem algum atentado, mas não passaria disso.

3 – Em ambas as situações, no casamento de Rachel e Megan, existem segredos que são mantidos entre elas e seus maridos, será que esse é um caminho comum, em um casamento? Podemos considerar esse tipo de relacionamento de meias verdades? Será que é justificável a mentira para quem amamos? O quanto vale esconder de um parceiro?
Nossa Opinião: Acredito que sempre é muito complicado a gente enfrentar os nossos erros, e sempre colocamos em pauta que ele pode gerar tantos problemas que é melhor esconde-los. Mas temos que levar em consideração, que os erros são passiveis em todos os seres humanos, e esconde-los talvez não seja a melhor maneira de proteger alguém, porque quando a verdade vem à tona, e normalmente ela vem, você acaba perdendo a confiança, por mais que o erro tenha acontecido só uma vez, mas o fato de esconde-lo, muda tudo. Até as menores da mentira, pois fica em nossa a cabeça, coisas do tipo, se ele mente por isso, imagine por coisas maiores.

4 – Qual impactos que as mentiras têm perante eles mesmos? De que forma Rachel mente para ela mesmo? Quais mentiras influenciariam para os acontecimentos da história?
Nossa Opinião: Talvez o ponto seja esse, as mentiras que foram desencadeadas nas histórias, culminaram no assassinato, seja ela de quem for, da Rachel, da Megan, do Tom, do Scott e até mesmo da Anna, e Rachel não é culpada pelo assassinato, claro, mas contou uma série de mentiras para continuar envolvida na história e até mesmo, que abaram levando ao final que teve. Além disso, as mentiras que ela contava, acabava sendo para ela mesmo, ela teria que acreditar nas próprias mentiras, porque senão, não as fazia. E com certeza a mentira da relação entre Tom e Megan, foi decisiva para que culminasse esse desfecho. Aliás as mentiras da própria Megan a levaram para o seu desaparecimento, não que isso justifique qualquer ato que tenha acontecido com ela.

5 – O ponto crucial da “Garota no Trem” é a confiança na memória de Rachel. Como ela consegue relembrar as situações? Como o relacionamento entre a memória e os fatos ocorridos influenciam na história? A memória pode nos enganar? Considerem fatos do livro.
Nossa Opinião: A gente sabe que a memória de Rachel é muito fragilizada, alias a polícia sabia que a memória dela era muito fragilizada, devido aos seus problemas, a questão é que de fato ninguém a ajudava, ninguém considerava a importância que a memória dela podia ter para o caso. É claro que a nossa memória nos engana, afinal ela é controlada por nós, e quando passamos por muito traumas, acostumamos a criar mecanismos, para fugir daquela realidade, daquelas situações, e utilizamos os fatos de nossa memória, e modificamos. Como o fato de que, a memória dela usava o vestido azul que ela tinha visto na pilha de roupas do trem, para enxergar Megan, no dia do seu desaparecimento. Artificio, para que a verdade não seja esclarecida, mas ela conseguiu controlar, modificar, para descobrir então a verdade, o que conta muito, mas é um trabalho que acredito não ser tão simples.

6 – Um dos desapontamentos de Rachel é o fato de ela não poder ter filhos e a segunda esposa do seu marido, conseguiu ter um filho. Isso justificaria as atitudes de Rachel? Como a questão da maternidade é tratada no livro? Você acredita que a autora quis passar uma mensagem em relação a isso?
Nossa Opinião: Somente depois de olhar essa pergunta que acabei me atentando para isso, é verdade!!! Rachel não pode ter filhos, o que desencadeou o seu alcoolismo, Megan matou o seu primeiro filho, Anna é uma mãe superprotetora que não percebe a gravidade das situações, e colocar o filho como o aporte para justificar os atos que deveriam ser realizados, mas não foram. Os casos das três personagens, mostra o quanto essa questão da maternidade é complicada, e talvez seja hora de considerar o quanto a sociedade coloca isso em cheque, e na verdade acaba não percebendo o prejuízo na cabeça de muitas pessoas. Quantas coisas já aconteceram devido essa pressão de que a mulher necessita ter um filho para ser feliz em um relacionamento, o todo pressiona com justificativa de “perpetuar a espécie”, mas não pensa nos inúmeros casos que não se adequam a essa realidade.

7 – Pense sobre a confiança na “Garota no Trem”. Existe alguém confiável no livro? Rachel é uma pessoa confiável? Quem aparenta confiança no livro? Que habilidades devemos usar para decidir se confiamos em alguém que não conhecemos muito bem?
Nossa Opinião: A autora construiu muito bem ser personagens, nenhum deles é confiável, principalmente Rachel, são pessoas instáveis, aparentemente confiáveis (com exceção de Rachel), mas escondem muitos segredos, que na verdade mostram que a vida da aparência é bem mais estrita que a vida real. O que leva a considerar a segunda pergunta. É difícil a gente confiar em alguém que pouco conhecemos, mas precisamos continuar vivendo. E na minha opinião devemos considerar confiar nas pessoas até que elas nos demostrem que não deveríamos confiar nelas, é difícil porque o impacto é grande, o sofrimento, mas estamos sujeito a isso, ou a não viver em sociedade. Por isso, as nossas experiências são muito importantes, a experiência de nossos pais, porque nos preparamos para o que pode vir por ai.

Galera, esperamos que tenham gostado, e discuta conosco, qual a sua opinião acerca das perguntas acima, você concorda conosco, discorda, queremos ver, comente aqui embaixo:

Acesse aqui, para ver as perguntas direto, em inglês.


Até a próxima. Aproveite e leia também a nossa resenha para o livro.

Recomendado Para Você

2 comentários

Comente com o Facebook

Instagram