Resenha: Turma da Mônica vai ao Círio de Nazaré - Fernando Mancilio

setembro 17, 2015 / Redação SOODA /

Turma da Mônica vai ao Círio de Nazaré
Fernando Mancilio
Editora: Santuário e Mauricio de Sousa
Ano: 2015
4 Estrelas

Estamos a pouco menos de um mês para a maior procissão religiosa do Brasil, o Círio de Nazaré na cidade de Belém do Pará, e esse ano de 2015, tivemos convidados especiais, a turminha mais amada por jovens e adultos do nosso Brasil, A Turma da Mônica. Eles vieram por meio do livro infantil lançado pela Editora Santuário em parceria com a Editora Mauricio de Sousa, que prestou uma bela homenagem ao Círio de Nazaré e a cidade de Belém do Pará

Autor: Fernando Mancilio é Padre e escreve livros religiosos, pela Editora Santuário. Ele tem diversos livros infantis publicados e a obra "Turma da Mônica vai ao Círio de Nazaré" faz parte de um projeto da Editora Santuário e Mauricio de Sousa que visa divulgar cidades religiosas no Brasil. O projeto já foi à Aparecida em São Paulo e Trindade em Minas Gerais, todas as obras anteriores também foram escritas pelo padre. As ilustrações são de responsabilidade da Editora Mauricio de Sousa.

Resenha: A baixinha mais amada do Brasil aterrissa em Belém para mais uma aventura. Isso mesmo, Mônica e sua turma viajaram até a terra das mangueiras para conhecer uma das festas mais bonitas da região Norte. No livro, 'Turma da Mônica vai ao Círio de Nazaré', fruto de parceria entre Maurício de Souza Produções e a Editora Santuário, a personagem é convidada para participar da procissão que leva milhões de pessoas ao Pará.

A história conta uma viagem que a Turma da Mônica fez à cidade de Belém do Pará, onde o Vitinho, personagem que já guiou a Mônica e seus amigos por outras cidades como Aparecida, agora é o responsável por apresentar à cidade, os seus costumes, o círio de Nossa Senhora de Nazaré, e toda cultura que gira ao redor do evento, nesse caminho os personagens ao conhecerem esse novo mundo, ficaram extasiados, e tem as suas famosas tiradas, que nos faz rir até o final do enredo, como o medo de água do Cascão, a fome desesperadora da Magali, os “L” do Cebolinha e o jeito Mônica de ser que todos nós já conhecemos.

Considero que a história, que não está em quadrinhos, mas em formato de livro para crianças, conseguiu mostrar muito bem, do que é a realidade do Círio de Nazaré, do quanto a cidade se movimenta para receber os fiéis, e eu como paraense, me sinto homenageado com esse livro, escrito por Ferdinando Mancilio, apesar de que algumas questões bem pontuais que me incomodaram no livro, como a falta de analogia da imagem com a história contada que aconteceu algumas vezes, e a utilização dos verbos, que algumas vezes não achei condizente com a situação, o que faz o leitor se questionar se algumas coisas que são do passado, ainda existem nos dias de hoje, o que de fato não existem.

Então o resultado final é que ao fim dessa história os pequenos e grandes leitores terão sido apresentados a cultura paraense, rica e cheia de nuances que me faz ter orgulho do meu Estado, além da história do Círio, como ele se tornou um evento que é nos dias de hoje, fazendo parte do calendário paraense, como se fosse o “Natal” de nossa cidade, cumprindo o seu objetivo, não somente de entreter, mas de informar ao leitor que “Quem vem ao Pará, parou. Tomou açaí, ficou!”.

Skoob: 4 Estrelas

Recomendado Para Você

2 comentários

Comente com o Facebook

Instagram