Resenha: Zon - O Rei Do Nada - Andrei Simões

setembro 22, 2015 / Francisco Soares Chagas Neto /


Zon - O rei do nada
Autor: Andrei Simões
Editora: Empíreo
Ano: 2013
4 Estrelas

Em Zon – O rei do nada, os leitores entrarão em contato com uma narrativa profunda e intensa, na qual conhecerão um personagem que precisa invadir mentes e consciências para continuar vivendo. E ele só ficará totalmente satisfeito se, no fim, destruir as crenças daqueles que domina. Dessa forma, abre espaço para que ele mesmo seja o substituto e se torne a grande divindade do universo. Porém, quando descobre que outras forças também trabalham em sua mente, Zon se vê preso num paradoxo, e já não tem certeza de que conseguirá dominar a realidade com tanta rapidez. Ao mesmo tempo em que constrói novas crenças, destrói sua própria existência.
Quem estaria por trás desse controle? Conseguirá Zon permanecer vivo e são?
Zon – O rei do nada é uma aventura fantástica onde verdade e mentira, realidade e ficção se misturam, fazendo com que até o mais calmo leitor estremeça diante das profundas descobertas.

Nunca, um livro mexeu tanto comigo como esse. Sim, “Zon: o Rei do Nada”, livro de Andrei Simões e ilustrações de Lupe Vasconcelos entra no hall daquelas perturbações que vão do início ao fim, onde aquelas crises existenciais, que muitas vezes temos em nossas vidas, do tipo “o que eu faço agora”, são fichinhas perto dessa leitura, o que por sinal é extremamente interessante.

O livro conta a história de um Professor de meia-idade e artista frustrado, que percebe ao se olhar num espelho que nós somos frutos da criação de um outro ser, que domina os nossos passos. Querendo se afastar desse processo, o professor consegue se subtrair do corpo, se tornando um parasita, passeando pela mente das pessoas, sobrevivendo da imaginação, sonhos, desejos, e pensamentos humanos.



Nesse processo existem muitas discussões que pairam sobre o livro, tais como o esquecimento, tempo, existência, entre outras. São muitas reflexões colocadas em forma de metáfora que nos levam muitas vezes a parar um tempo para refletir sobre nossas atitudes perante determinadas situações em nossas vidas. O autor usa a literatura fantástica, em forma de pequenos contos para colocar a realidade presente em nosso dia a dia, do tipo “o que estamos de fato fazendo com as nossas vidas”.

Além disso o que encanta no livro são as ilustrações colocadas em cada capitulo, não são somente um complemento de cada capitulo, fazem parte da história, são essências para o entendimento completo das discussões que algumas vezes não são fáceis, afinal as vezes existem uns trocadilhos entre o Nada e o personagem Nada, aquele que lê, aquele que escreve, são muitas vezes palavras tão abstratas que se não fosse as ilustrações, o entendimento não seria completo, talvez por isso a editora, coloca o ilustrador também como escritor dessa história.

No mais, após grandes discussões filosóficas no livro, chegamos ao final desse enredo imaginando o quanto a felicidade está tão próxima de nós e muitas das vezes não percebemos e assim o livro finaliza com um final que apesar de ser delineado durante todo livro, mas para mim ainda foi inesperado.



Por isso vale saudar o autor que tive a oportunidade de conhece-lo, na verdade comprei o livro das mãos deles e espero dar os parabéns pessoalmente, o que mostra ainda que os escritores brasileiros, especialmente os paraenses também conseguem construir boas histórias.

Skoob: 4,4 Estrelas

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram