Resenha: Caixa de Pássaros - Josh Malerman

outubro 23, 2015 / Everton Assis /

Caixa de Pássaros (Bird Box)
Josh Malerman
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
04 estrelas

Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler. Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.

Josh Malerman: É cantor e compositor da banda de rock High Strung. Filho do meio, Malerman gosta de escrever ao som de trilhas sonoras de filmes de terror, como Grito de terror e Creepshow – Arrepio do medo. Ele mora em Ferndale, Michigan, com a noiva. Caixa de pássaros é seu romance de estreia.

Há alguma coisa lá fora...

Caixa de pássaros é um livro cujo gênero não estou acostumada a ler, porém devo dizer que me surpreendeu de forma positiva. Com uma narrativa bastante fluída e envolvente não vemos nem a hora passar, é praticamente impossível largar o livro antes de chegar ao seu desfecho.

O livro conta a trajetória de Malorie e seus dois filhos, que após 4 anos desde que uma espécie de praga assolou o mundo e devastou a maior parte da população, tentam fugir da casa em que viveram os últimos anos para irem até um local que parece ser seguro nesse novo mundo em que se encontram.

A narrativa do livro se divide entre capítulos que narram o presente - a fuga da personagem principal e os filhos - e capítulos que narram o passado, como tudo começou e como foi o desenrolar dos fatos, esses capítulos acabam se encontrando e a narrativa passa a ocorrer apenas no presente.



Quatro anos antes do momento em que Malorie foge com os filhos alguma coisa começou a se instalar entre a população, uma espécie de praga, criatura, não se sabe ao certo, tudo o que se sabe é que se alguém olhar para isso, ainda que seja por um mísero segundo ela passará a desenvolver sintomas, começará a praticar atos de extrema violência e ao final cometerá suicídio. Quando os primeiros casos começam a aparecer, isso se torna uma espécie de viral nas redes sociais, as pessoas começam a viver sob vigilância, um constante medo de que algo possa acontecer, os noticiários passam a denominar o caso de “o problema”, ninguém sabe o que é, como é e aqueles que viram a criatura não sobreviveram para contar. Todos passam a andar com uma venda nos olhos, cobrem as janelas, portas, qualquer brecha que possa mostrar algo de fora ou mesmo a luz do Sol, com lençóis, papelão, qualquer coisa. Ninguém está seguro lá fora, todos devem ficar dentro de casa, como a própria personagem chega a dizer, devem viver como se estivessem em uma caixa de pássaros, presos.

“Existe uma teoria bem disseminada segundo a qual, seja lá qual for “o Problema”, ele sem dúvida começa quando uma pessoa vê alguma coisa.” Pág. 30

“Ninguém tem respostas. Ninguém sabe o que está acontecendo. As pessoas estão vendo alguma coisa que as leva a machucar os outros. A machucar a si mesmas” pág. 31

Após a descoberta de que estava grávida, Malorie que morava com a irmã até que algo acontecesse, encontra um anúncio no jornal de alguém convidando pessoas para irem até o local, pois lá é seguro e todos serão recebidos. Ela então, sozinha e com um filho a caminho, decide se arriscar e vai até o local, tendo que dirigir praticamente todo o percurso de olhos fechados, no caminho a personagem descreve a devastação na cidade, tudo está revirado, destruído, abandonado. E é nessa casa do anúncio que ela passará a viver, junto com os outros moradores Tom, Cheryl, Don, Felix, Jules e o cachorro Victor. Juntos eles formam uma espécie de família, e eles tem que desenvolver maneiras de sobreviver, de conseguir mantimentos, e de manter todos em segurança. As pessoas deixam, enfim de viver e passam apenas a sobreviver. A chegada de um novo morador vai causar uma reviravolta na história, deixando o leitor perplexo e sem fôlego.



Josh narra de forma magistral as situações vividas pelos personagens, a angustia, o terror, a frustração, narra de forma que o leitor consegue sentir o desespero de todos, em alguns momentos tive que pausar a leitura, respirar e dizer a mim mesma que aquilo não era real, que era apenas um livro, de tão intensa que é a narração, alguns momentos sentimos certa claustrofobia, é algo realmente impressionante. Foi uma surpresa realmente agradável, por se tratar de um romance de estreia e que foi escrito por um músico. Esse é um livro que vale a pena ser lido, cheio de suspense e com um clima presente de terror, escrito de forma que flui muito bem. O autor explora bastante as emoções dos personagens, o modo como cada um encara esse novo mundo, tanto que a explicação sobre o mistério da criatura pode acabar por frustrar algumas pessoas, mas que em minha opinião foi adequado para a proposta do livro.

“O homem é a criatura que ele teme.” Pág. 191.

A editora Intrínseca, como sempre, caprichou bastante nessa edição, o livro tem uma ótima diagramação, bom espaçamento e os capítulos não são tão extensos, o que torna a leitura mais agradável e ágil.

Foi confirmada a adaptação cinematográfica do livro, ainda sem previsão de estreia e a produção será dirigida pelo argentino Andrés Muschietti, do terror Mama. Confira a notícia completa aqui.

Booktrailer

Skoob: 4,2 Estrelas
Goodreads: 3.93 Estrelas

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram