Retrospectiva SOODA 2015 - Parte 1: Sobre os Olhos de Francisco Chagas Neto

dezembro 29, 2015 / Francisco Soares Chagas Neto /


Olá Soodinhas!! E o ano de 2015 está se encerrando. Chega o momento de nossas retrospectivas. Nós aqui do Blog Sobre os Olhos da Alma dividimos a Nossa Retrospectiva 2015 em três partes, onde cada um de nossos blogueiros irá delinear sua trajetória nesse ano maravilhoso, começando por mim Francisco Chagas Neto, amanhã tem o Everton Assis e na quinta – feira encerra-se com a Rosane Santos.

Primeiro tenho que dizer que esse é o primeiro ano que embarco de vez nesse mundo literário, é gente, triste falar isso, que aos 25 anos eu estava meio análogo desse mundo, mas aqui estou, e não quero largar vocês. Eu era uma pessoa que sempre gostei de ler, mas lia pouco, sei lá, por vários motivos. Comprava livros a esmo, ia lendo devagar, e muitas vezes abandonava as leituras.

Mas esse ano de 2015, isso mudou, graças ao Everton Assis, também blogueiro daqui e que muito me incentivou, e assim iniciamos o Blog Sobre os Olhos da Alma. Cara, o que falar de tudo isso. Fico até emocionado (Buáááááááá), porque simplesmente não sei o que estava fazendo da minha vida que não cai de cabeça antes. Calma gente, não era totalmente fora desse mundo, já tinha lido alguns clássicos, Harry Potter (sempre fui fã da saga), e outras leituras que permeio, mais ou menos o que tenho lido ultimamente. Mas, agora estou com o carrão de sena, e não largo mais vocês, que hoje são a maior motivação de continuar com o blog (sim, vocês são essenciais pra mim).

Então chego ao final de 2015, com um blog no ar, dois eventos realizados com sucesso, e mais de 10 mil páginas lidas (dentro de mais 40 livros, segundo o SKOOB), o que me deixa muito feliz, pois me aventurei pelas páginas de fantasias espetaculares como Golem e o Gênio, Uma Chama entre as Cinzas, Furia Vermelha / Filho Dourado (o segundo ainda termino até dia 31/12), além de romances maravilhosos como Miniaturista e Cidade Murada, ou ainda YA, como Mosquitolândia, entre outros. E claro tive os livros 5 estrelas favoritado e algumas decepções, como posso destacar:

Uma Chama entre as Cinzas (Sabaa Tahir)- 5 Estrelas: Que história é essa minha gente, até agora depois de quase dois meses lidos, ainda to meio anestesiado com ela, Sabaa soube fazer uma das melhores distopias, na minha opinião, dentro do ambiente do deserto, com muitas referências orientais.

O livro conta a história de Laia, uma erudita, que acaba se tornando escrava para se infiltrar na casa da comandante Marcial. E Elias, um soldado Marcial que sente que não pertence a esse mundo e tenta desertar (fugir), porém no dia de sua fuga os adivinhos falam de uma profecia que pode torna-lo um novo Rei. E assim o caminho dos dois acabam se cruzando, e os dois tem de seguir em frente se quiser atingir seus objetivos. Nesse meio tem muita treta, fantasia, e claro uma pitada de romance (mas sem ser piegas, que deixa a história alucinante. Confira a nossa resenha completa, clicando aqui.

Fúria Vermelha (Pierce Brown) – 5 Estrelas: No caminho das distopias, ainda temos essa aqui que me surpreendeu bastante, com a criatividade que o autor apresenta nela, além de claro umas discussões sensacionais, acerca de estratégia, poder, Estado, que me faz colocar esse livro numa possível obra para ser utilizada em discussões relativa a Ciência Política (adoro, quando posso encarar uma obra não como simples entretenimento, mas uma profundidade de discussões que grita na sua cara).

O livro Conta a história de Darrow, um vermelho que mora em Marte, trabalhando nas profundezas do planeta, atrás de Gás Hélio, para a terrificação do planeta para outras pessoas morarem nele. Porém, os vermelhos servem como escravos, sendo a parte mais baixa da sociedade que é dominada pelos Ouros. Darrow compreende isso, porém quer  viver sem encrencas, o que não acontece, depois da sua primeira experiência de quase morte, que o leva a resistência dessa sociedade, os chamados Filhos de Ares. Eles levam Darrow até o topo do Planeta, onde ele descobre, que na verdade Marte já é habitada por seres humanos, de várias cores, enquanto eles são escravos. Então os Filhos de Ares, traçam um plano para tornar Darrow um Ouro, e infiltra-lo dentro da sociedade, e assim acabar com ela. O Plano dá certo e Darrow vai parar na escola dos Ouros, porém lá não é o lugar que ele imagina. Nesse meio ocorrem batalhas épicas, em meio a um planeta com baixa gravidade, além das várias discussões sobre poder, estratégia, política, e vou dizer uma coisa, Pierce Brown não tem pena de matar personagem, e vocês vão entender porque. Saiba mais sobre esse livro, clicando aqui.

Golem e o Gênio (Helene Wecker) – 5 Estrelas: Um fantasia tão fascinante como essa, não tem como deixar ninguém sem ficar embriagado com a escrita tão delicada e ao mesmo tempo bem traçada de Helene, que une duas figuras da mitologia árabe e judaica tão diferentes, numa Nova York no início do século XX.

O livro conta a história de uma Golem, feita de barro, por um rabino, para um senhor que não conseguia se relacionar com as mulheres, porém no meio da caminho para Nova York ele acaba morrendo, deixando a criatura que acabara de nascer, a esmo num navio, em direção a selva urbana da cidade de Nova York, lembrando que a Golem é uma figura criada para obedecer a um dono. Além disso, na história existe um Gênio que foi despertado por um latoeiro, depois de ele esfregar uma garrafa. O gênio não possuía, quase nenhum poder, pois é aprisionado a umas correntes que fora colocado por seu antigo mestre, então sua única habilidade era relacionada com o metal. E seu maior desejo, com certeza era a liberdade, e ele externava isso de todas as formas possíveis. A Golem, uma criatura criada para servir, O Gênio, uma criatura que prezava mais do que tudo por sua liberdade. Eles eram tão diferentes, mas para se manter no anonimato, precisavam dar certo, ver que existe um meio termo entre a subserviência e a total liberdade, e que talvez esse ponto, poderia ser a salvação deles, será? Só lendo para saber. Confira a nossa resenha, clicando aqui.

Maldita (Chuck Palahniuk) – 2 Estrelas - Abandonado em 2015: Sério gente, é frustrante quando a gente espera tanto de uma obra e ela te decepciona. Palahniuk, conhecido por sua celebre obra Clube da Luta, e que escreveu o livro 1 dessa série, “A Condenada”, da qual eu gostei bastante, mas que infelizmente, fez a minha pior decepção do ano.

Os Livros “A Condenada” e “Madilta”, Chuck conta a história de Madison, uma garota que vai parar no inferno, depois de sua morte misteriosa, relacionada, segundo ela, com a maconha. No livro 1, o livro centra-se nas descobertas de Madison, referente ao inferno, do jeito bem escrachado e divertido do autor, eu adorei a história do primeiro livro, foi bem delineada, chamando atenção para várias críticas sociais, da vulnerabilidade da vida, nos dando um belo brinde e expectativas para segunda história. E ai, que tudo caminha pelo lado oposto. A segunda história centra-se na Madison trancafiada no Planeta Terra, depois de não ter conseguido voltar no dia das bruxas para o Inferno. A premissa ainda é boa, o enredo central é interessante, mas os flashbacks exaustivos, e as cenas absurdamente criadas, com um humor que atravessa a fronteira do engraçado e cai no ridículo, fazem a história ficar muito cansativa, ao ponto de me fazer larga-la com o sentimento “Ou eu desisto agora, ou essa história me absorve”, optei pela primeira opção no momento, mas não desisti totalmente desse enredo, vou voltar, e terminar. A resenha do primeiro livro, sairá ainda nos primeiros meses de 2016, e do segundo livro, assim que tiver cabeça para isso.

E você, quais foram as sensações e emoções de história que leu esse ano, conte para mim nos comentários. Amanhã tem mais retrospectiva literária, deixarei nas mãos do Everton Assis. Abraços soodinhas e até 2016.

Ah, não esqueçam de participar do nosso projeto #belem400anosdeleitores.

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram