Resenha: O Regresso - Michael Punke

fevereiro 23, 2016 / Rosane Santos /

Qual é o limite de um homem com o coração cheio de vingança?




O Regresso (The Revenant)
Michael Punke
Editora: Intrínseca
Ano: 2016
Skoob: 4.1 Estrelas | Goodreads: 3.9 Estrelas
04 Estrelas
Compre Aqui.
Indicações ao Oscar: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator, Melhor Ator Coadjuvante, Fotografia, Edição, Edição de Som, Mixagem de Som, Figurino, Direção de Arte, Maquiagem e Cabelo, Efeitos Visuais.

Em 1823, os caçadores da Companhia de Peles Montanhas Rochosas desbravavam as terras inexploradas dos Estados Unidos, enfrentando diariamente o clima implacável, as feras selvagens e a ameaça constante de confronto com os índios, que defendiam suas terras da invasão dos homens brancos. Em uma das missões da companhia, Hugh Glass, um dos melhores e mais experientes caçadores do grupo, fica frente a frente com um urso-cinzento, é atacado e termina gravemente ferido, claramente sem chances de sobreviver. Os homens que deveriam esperar sua morte e lhe oferecer um funeral apropriado o abandonam, levando consigo as armas e os suprimentos. Entre delírios, Glass os observa fugindo e é tomado por um único desejo: vingança. Uma determinação cega que o torna capaz de atravessar quase cinco mil quilômetros de terras intocadas e selvagens, fugindo de predadores, sobrevivendo à fome e à agonia dos ferimentos mais terríveis, a fim de concluir seu objetivo.



Autor: Michael Punke é embaixador dos Estados Unidos na Organização Mundial do Comércio, em Genebra, na Suíça. Antes trabalhou no Conselho de Segurança Nacional, foi correspondente da revista Montana Quarterly e professor adjunto na Universidade de Montana. É autor de Fire and Brimstone: The North Butte Mining Disaster of 1917 e Last Stand: George Bird Grinnell, the Battle to Save the Buffalo, and the Birth of the New West. Mora com a família em Montana.



Resenha: O livro narra a jornada de sobrevivência de Hugh Glass, um notório caçador de peles que está em serviço da Companhia de Peles Montanhas Rochosas, acompanhado por um grupo de caçadores dos mais variados tipos e personalidades, sendo liderados pelo Capitão Andrew Henry, os fatos se passam na década de 1820.

A trama principal do livro gira em torna de um desejo absoluto por vingança. Hugh Glass, durante a tarefa de reconhecimento da área onde estava montando acampamento junto com os seus colegas da Companhia de Peles Montanhas Rochosas, é surpreendido com a aparição de um urso cinzento, que estava no local com seus filhotes e percebe a presença de Hugh, o embate que se dá entre o caçador e o feroz animal é perturbador, o autor descreveu a cena com uma clareza arrebatadora, o animal atacou Hugh de forma terrível, provocando ferimentos profundos e dilacerando o seu corpo, porém durante o embate Hugh consegue acertar o urso com um tiro, matando-o.





Michael descreveu os ferimentos sofridos pelo caçador de forma que só de ler aquelas palavras dói no próprio leitor, é sufocante e causa tremenda angustia que é difícil de imaginar como alguém sobreviveria a tamanho sofrimento, porém é isso o que acontece com nosso protagonista, contra todas as chances Hugh Glass sobrevive ao ataque, entretanto ele está fraco, passando vários dias inconsciente e com ferimentos profundos, tendo de ser carregado por seus colegas durante o percurso que precisam fazer para chegar até o local determinado da missão em que estavam trabalhando. O Capitão Andrew Henry então tem uma difícil e importante decisão a tomar: levar Hugh junto com o grupo colocando a missão em risco, uma vez que era preciso leva-lo carregado em uma maca improvisada, o que diminuiria as chances de sobrevivência de todo o grupo devido as dificuldades de locomoção e todos os perigos que os cercavam constantemente (tribos indígenas que eram hostis e estavam em guerra com os homens brancos, além dos animais ferozes que poderiam cruzar seu caminho) ou deixar Hugh para morrer e seguir em frente. Por fim ele tomou uma decisão e propôs que dois de seus homens ficassem para trás com Hugh, tendo como recompensa uma considerável quantia de dinheiro, até o momento de sua morte e que então lhe cavasse uma cova, para que tivesse um enterro mais apropriado.



Os voluntários foram John Fitzgerald (um mercenário que não inspirava tanta confiança) e Jim Bridger, (um jovem órfão, considerado pelos companheiros como um tanto covarde e imaturo). Os dois se separaram do restante do grupo e permaneceram com Hugh, que passou mais alguns dias em estado de inconsciência com breves momentos de lucidez. Porém, ao decorrer de alguns dias Fitzgerald está cansado de esperar que Glass enfim morra e decide que já perdeu tempo demais naquela situação, então ele propõem a Bridger que deixem o homem ferido ali para morrer sozinho e ir ao encontro dos colegas, ao que Bridger inicialmente se opõe, mas Fitzgerald está decidido e antes de partir pegar os pertences de Hugh (uma bolsa com seu precioso riffle, sua faca, corda e outros equipamentos), deixando Hugh sem qualquer ferramenta para lhe ajudar a sobreviver, abandonado a própria sorte, apesar da improvável recuperação do ataque do urso. E é aqui que ocorre a grande reviravolte, pois ao ver os dois homens, que deveriam protegê-lo, partir levando as suas coisas Hugh é consumido por um sentimento de terrível de traição e uma incontrolável sede de vingança contra aqueles homens, ele então percebe que vai fazer qualquer coisa para sobreviver, para ver aqueles que o traíram pagar com suas próprias vidas.

Ele prometeu a si mesmo que iria sobreviver – mesmo que fosse apenas para se vingar dos homens que o haviam traído - (p. 89)

Após esse fato nós acompanhamos a sofrida jornada de Hugh, o seu instinto de sobrevivência é impressionante, ele passa por outras várias situações de quase morte, ele vive momentos terríveis e sofridos, por vezes parece que ele não irá conseguir, porém no decorrer da história o vemos ficar cada vez mais forte e mais ávido pela vingança que se aproxima, ele não está disposto a desistir facilmente.

Pela primeira vez naquele dia, ele pensou nos homens que o haviam abandonado. Sua raiva aumentava enquanto encarava o veado. Abandono soava gentil demais para descrever a traição dos dois. - (p. 97)

O autor soube conduzir bem a história, o livro é inspirado em fatos reais, o que o torna ainda mais impressionante. A narrativa é fluida e muito detalhista, todos os fatos são muito bem narrados com uma riqueza, o cenário, os sentimentos dos personagens, as cenas de combates e os ferimentos sofridos por Hugh são muito bem descritos, algumas passagens são angustiantes, fortes e de grande impacto.

Ele prometeu a si mesmo que não morreria, pois viveria para matar seus assassinos. - (p. 98)

O modo como Hugh não se deixa abalar diante de todas as adversidades, seu instinto de sobrevivência é admirável, é interessante a forma como o autor mescla os capítulos narrando o passado de Hugh, o que nos faz entender melhor sua história e faz com que criemos uma empatia por ele. Todos os personagens são bem desenvolvidos, os dilemas que enfrentam, as incertezas, o medo, o companheirismo e a solidariedade entre eles, o modo complexo de ser do homem quando se encontra diante das adversidades. O final, em minha opinião, foi um tanto decepcionante, tanto que no final da leitura fiquei sentindo como que estivesse incompleto.



Ao final do livro o autor nos apresenta suas “notas históricas” onde ele narra o destino de alguns dos principais personagens, além de explicar as pesquisas, os fatos e as fontes que formaram a história. Ele também esclarece que O Regresso é uma obra de ficção, portanto alguns personagens e alguns fatos não existiram realmente e ele cita quais foram.



Ainda não assisti ao filme protagonizado pelo Leonardo Di Caprio, que é um dos grandes nomes do Oscar 2016, liderando as indicações, porém pelo que li é bem diferente do livro, espero que seja tão bom quanto.

E não se esqueçam Soodinhas, no próximo dia 27/02 as 16hrs teremos evento, no Cine-Teatro do Aslan Gentil, esse livro estará entre os apresentados. E fiquem de olho que vem mais resenha de livros que tiverem filme adaptados e estão concorrendo ao Oscar esse ano. E quinta-feira tem mais resenha do Oscar. o próximo livro será...


Recomendado Para Você

2 comentários

Comente com o Facebook

Instagram