Resenha: Caim: O Primeiro Vampiro - Georgina Cavendish

março 08, 2016 / Redação SOODA /


CAIM: O primeiro Vampiro
Autora: Georgina Cavendish
Editora: Novos Talentos da Literatura Brasileira (Novo Século)
Ano: 2015
04 Estrelas

Quando você cultivar a terra, esta não lhe dará mais da sua força. Você será um fugitivo errante pelo mundo.' (Gênesis 4:12). Caim vivia dos frutos de seu trabalho. Seus dias eram praticamente os mesmos até um sonho chamar sua atenção: uma oferenda era tudo o que Deus pedia. Mas, ao contrário do que imaginava, não seria a sua a ser aceita por Ele, e sim a de seu irmão, Abel. Um momento de loucura. Morte. Caim é marcado para sempre. Agora, não somente o céu o rejeita, como a própria terra e o que ela tem a oferecer. Caim então é obrigado a vagar por ela com apenas uma coisas capaz de saciá-lo: sangue.



Esta obra foi gentilmente cedida pela autora da obra.

Autora: Georgina Cavendish é paraense, 24 anos, amante do mundo dos livros. Recentemente passou um ano na Inglaterra para fazer cursos relacionados a escrita literária. Caim: O Primeiro Vampiro é a sua primeira obra de um projeto de histórias sobre vampiros que a autora pretende lançar em breve.

Resenha: A crença nos vampiros é algo extremamente antigo. Antes do espetáculo da internet se estabelecer nos dias de hoje e cruzar os dados sobre os seres "chupadores de sangue", eles já existiam, sem qualquer inter relação. Os vampiros são descritos (não necessariamente com esse nome) na cultura mesopotâmica, hebraica, grega, romana e até mesmo na cultura chinesa. Então eles já estão a milhares de ano em nossa humanidade (o que nos indaga se eles são reais ou não. Será?)

Nessa perspectiva, a autora Georgina Cavendish, resolveu construir uma teoria (fictícia é claro), de que o primeiro vampiro da humanidade seja CAIM (esse da Bíblia mesmo). E assim chega em nossas mãos essa obra. Eis que também nesse momento surgiu a oportunidade também da gente fazer a nossa primeira resenha dupla (feito por duas pessoas), acerca de nossas impressões ao livro. Esperamos que vocês gostem, e comentem se vocês querem mais disso por aqui. Vamos lá !!!



"Abel ergue o olhar para a luz, volta-se a mim e sorri. A luminosidade banha os cabelos castanhos-claros dele e tinge de um azul mais profundo seus olhos.Sinto meu sangue subir. Por que ele seria mais merecedor do que eu!? Ele, que nada de duro faz na vida, a não ser vigiar malditas ovelhas?" (p. 24)


ROSANE: Caim: o primeiro vampiro narra uma nova versão para a história bíblica dos irmãos Caim e Abel. A autora buscou uma explicação para como teria sido o nascimento do primeiro vampiro da história. Segundo ela, teria surgido após, sentimentos de raiva e ciúme de Caim, que levou a matar o próprio irmão, recebendo como punição a rejeição da terra, do céu e de todas as coisas, sendo obrigado a vagar sem rumo e sem expectativas. Caim então descobre que já não é mais um homem propriamente dito, ele passa por uma transformação ao mesmo tempo lenta e significativa: os seus desejos estão aguçados, água e comida não são capazes de sacia-lo e ele enfim descobre a única coisa capaz de lhe alimentar: sangue.

FRANCISCO: É interessante essa construção, pois leva-nos a considerar que o vampiro acaba sendo a personificação da maldade humana, e não é? Porque até então esses sentimentos não eram difundidos (a não ser Adão e Eva). Além disso, a metáfora de se alimentar de sangue, torna-se mais visível, afinal Caim se tornou um "ser humano" mal, tomado por esses sentimentos não sendo capaz de se alimentar de nada criado por Deus, a não ser a coisa mais importante de um outro ser o humano, o sangue, tendo em vista o quanto esse liquido é sagrado diante da perspectiva religiosa.



ROSANE:No decorrer da narrativa nós vemos Caim buscar uma forma de aplacar a sua sede por sangue ao mesmo tempo em que ele precisa proteger sua família, esposa e filho. Vemos o quanto ele luta para manter as aparências, de forma que não vá machucar sua esposa que tanto ama. A autora soube conduzir bem a história, é uma leitura relativamente leve, rápida e que também nos proporciona algumas reflexões.

FRANCISCO: No ponto ressaltado pela Rosane, percebemos duas coisas. A presença do amor, como algo que pode muda-lo, mas se transformado, pode machucar outras pessoas. Tipo assim, O Amor é uma coisa transcendental e bonita, mas quando passa pelo filtro de um vampiro como Caim, pode ser distorcido, porque ele faz de tudo para manter a família longe de sua maldição, mas ao mesmo tempo ele é capaz de matar para manter essa distância, então chegamos a reflexão, até onde esse amor faz bem? E nesse ponto, chegamos algo que acho de extrema relevância nessa história. O arrependimento de Caim. Aí, nos fazemos o seguinte questionamento. Deus criou uma maldição? ou algo para que despertasse bons sentimentos em CAIM?



FRANCISCO:Gostei da escrita da autora, ela soube desenvolver o enredo da história, e me fez ter vontade de ler mais sobre o que ela tem a escrever sobre vampiros. O que senti falta na história foi a questão espaço x tempo. Eu sei, você pode dizer que se é na época de CAIM e ABEL, foi no "inicio" da civilização humana, mas eu não consegui sentir esse ambiente, se fosse um leitor mais desatento, não saberia diferenciar se a história se passa no tempo presente ou passado, faltou um pouco dessas descrições, para que eu me sentisse mais imerso nesse período a qual a autora se propôs a escrever.

ROSANE: Foi uma leitura surpresa, pois eu não sabia muito bem o que iria encontrar aqui, mas não decepcionou. O livro foi construído de forma envolvente e autora escreve muito bem.

FRANCISCO: No Geral, Caim: O Primeiro Vampiro, "traz uma perspectiva interessante para o inicio dos vampiros no mundo em que vivemos, veremos agora a cena dos próximos capítulos que a Cavendish tem pra gente".

"A desordem assumindo lugar... Logo eu não serei o único a cometer atos animalescos ali. Sou apenas o propulsor. Matar, então, se torna mais fácil. Alimentar-se se torna mais fácil. Entretanto, a ordem terá que voltar, eu sei disso. A diferença é que agora é mais fácil achar a quem culpar." (p.78)




E Não percam Soodinhas, na próxima Quinta-Feira dia 10/03 tem uma entrevista com a autora que irá contar um pouquinho mais sobre a sua obra que tanto amamos. Até lá...

SKOOB: 3,2 Estrelas

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram