Quinta Parceira (RESENHA): Os Pescadores - Chigozie Obioma

maio 05, 2016 / Redação SOODA /

Esse livro foi gentilmente cedido pela Editora Globo Livros.

Os Pescadores (The Fishermen)
Editora: Globo Livros
Ano: 2016
05 Estrelas

Sucesso de publico e critica ao redor do mundo, Os pescadores e um romance comovente, arquitetado com maestria por uma das mais relevantes vozes literarias deste inicio de seculo. Os pescadores descreve uma África repleta de cores e sabores em uma trama emocionante e inesquecível. Com os direitos vendidos para mais de vinte países, a obra de estreia de Chigozie Obioma já o consagrou como o nome mais importante da nova literatura africana. Narrado a partir do ponto de vista de Benjamin, de nove anos, Os pescadores é uma história sobre família, amor, tragédia e lealdade ambientada na Nigéria dos anos 1990. Quando o pai, funcionário do banco estatal, é transferido para uma cidade distante, os quatro filhos mais velhos aproveitam sua longa ausência para matar aula e ir pescar. A vizinhança onde fi ca o rio é um rincão proibido para os meninos. Aquele é um lugar ermo, perigoso, habitado apenas por Abulu, o louco da cidade, que carrega a fama de prever desgraças. Certo dia, Abulu profetiza que o primogênito será morto por um de seus irmãos. A partir desse momento, uma cadeia de eventos repleta de tensão é criada. A vida da família se transforma para sempre por meio de atos de dor e redenção que assumirão proporções épicas.

Autor: Chigozie Obioma é nigeriano, concorreu em 2015 o Man Booker Pize pelo livro "Os Pescadores", seu romance de estreia. Ele é professor de literatura no Estados Unidos, e ja morou em vários países como Chipre e Turquia. Hoje ele já vem sendo considerado um dos novos escritores africanos de destaque.


A África é um local de grandes proporções, considerado o continente mais antigo do mundo, hoje vivem lá, mais de 1,11 bilhão de pessoas em seus mais de 54 países. Apesar de grande diversidade cultural, pouco se conhece desse imenso continente, talvez por ter 21 dos 30 países mais pobres do mundo. Hoje o que é mais conhecido da cultura africana é o Egito e a sua mitologia milenar que influenciou boa parte dos povos do ocidente, porém na África existem outros países com imensa diversidade cultural, entre eles a Nigéria, pano de fundo do livro Os Pescadores de Chigozie Obioma.

“Quero que vocês sejam pescadores de bons sonhos, que não descansem enquanto não apanharem um grande peixe. Quero que sejam pescadores colossais, ameaçadores e incontroláveis” (p. 39)


A obra conta a história de uma família, formada pelo pai, responsável pelo sustento da família, a mãe, a cuidadora do lar e dos 6 filhos; Ikenna o mais velho, Boja e Obeme, David e Nken (os mais novos) e Benjamin, o narrador da história. Eles tinham uma vida relativamente estável até que o banco onde o pai trabalhava foi transferido para outra cidade, e assim ele se muda e acaba deixando os filhos junto com a mãe em Akure, uma cidade de 300 mil habitantes, no Sudoeste da Nigéria e assim a vida desses jovens começa a mudar.

Tudo começa porque Benjamin, Ikenna, Boja e Obeme começam a pescar em um “lago proibido”, lá eles encontram um pedinte de rua que possuía problemas mentais, porém ele também era uma espécie de agouro da cidade e acabou prevendo que Ikenna seria morto por um pescador (nesse caso, um dos seus irmãos). A partir desse momento Ikenna fica transtornado e começa a desestruturar a sua família, causando assim um efeito em cadeia de tragédias na vida dessa família.


A história possui como pano de fundo, uma Nigéria da década de 90, com um povo sofrido, que necessita lutar para sobrevivência a todos os momentos, porém tem uma cultura muito forte, recheada de coisas maravilhosas. Obioma descreve muito bem, os costumes locais, como eram as casas, como as crianças viviam e cresciam naquele ambiente. Em alguns momentos usa o dialeto da tribo de Iourubá, e mostra como a religião protestante, influência dos ingleses, tem se tornado muito presente na vida desses nigerianos, mas que ainda existem muitas tradições que não foram deixadas de lado.

Cidade de Akure, onde ocorre a história de "Os Pescadores"
Imagem da cidade de Akure, onde ocorre a história de "Os Pescadores"


Durante o enredo é possível perceber que o patriarcado não fora deixado de lado naquele país, a presença do pai em uma família era de extrema relevância, a exemplo de como a família protagonista da história foi se desestruturando depois que o a figura paterna deixa de existir naquela casa.

Além disso, Obioma nos apresenta um panorama geral da Nigéria, em relação a violência e política. Vale ressaltar que durante muitos anos (bem mais que o Brasil) a Nigéria vivia numa Ditadura Militar, que teve uma pequena pausa, mas logo retornou depois denúncias de corrupção, e isso é bem explicitado em um flashback na história, que mostra a figura de uma esperança para aquele povo (que sim é muito sofrido) e como ela pode se acabar num piscar de olhos.

“Se esses homens entrarem aqui vão nos ver como inimigos, como os meninos de M.K.O., as ‘Crianças da Esperança de 93’, e vamos estar mais em perigo do que qualquer um” (p. 110).



Uma coisa que achei muito interessante na construção do texto de Obioma, foi a forma como ele criou cada capitulo, onde o título era a figura de um animal que se tornava o guia propulsor daquelas frases, usando-os esses animais de metáforas, associando-o aos personagens da história, tornou a história mais intensa, bonita, e o que acabava me fazendo ansiar por cada capitulo, e o que viria por traz de cada animal.

Além disso, percebe-se que a história se constrói rapidamente, quando chegamos a página 120 mais ou menos, percebemos que ele já tinha construído aquilo que nossa mente planejava para o fim da história (é como se ele tivesse antecipado um final de uma novela) para assim escrever mais, muito mais, e posso dizer sem dúvidas que ficou maravilhoso, fiquei inebriado e recheado de reflexões até o momento que a história se finda (na verdade até depois).


Ao final da história percebemos que ficamos engajados em uma história que nos ganha pelo enredo que de certa forma é diferente, e claro pela cultura de um país que pouco conhecemos, Chigozie Obioma nos apresentou muito bem o seu país de origem, deixou claro que existe um sofrimento, mas que também sempre existe a esperança, existem coisas belas, a Nigéria é um país em plena construção de sua história, talvez uma das coisas mais belas da literatura é essa viagem que podemos realizar em todo o mundo e se for para ser viagens como a do livro “Os Pescadores”, eu não quero nunca parar.

Bom, com certeza Os Pescadores “é uma história de uma família que sempre tem esperanças a se apostar, em um país onde a cultura pode sobrepujar o sofrimento diário”, recomendo a todos e agradeço a oportunidade da Globo Livros de me apresentar essa história que passaria despercebido por mim em uma livraria, mas que vale a pena ser conferida.


“Se uma pessoa tenta prever o futuro, ela não verá nada; era como olhar dentro do ouvido de alguém” (p. 235)


SKOOB: 4,3 Estrelas GOODREADS: 3,82 Estrelas

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram