Quinta Parceira (Resenha): Em Algum Lugar Nas Estrelas - Clare Vanderpool

junho 16, 2016 / Rosane Santos /

A jornada de dois garotos que encontraram perigos distintos e achados valiosos para as suas vidas.




Em Algum Lugar Nas Estrelas (Navigating Early)
Escritora: Clare Vanderpool
Editora: Darkside Books
Ano: 2016
Skoob: 4.0 Estrelas | Goodreads: 4.0 Estrelas
5 estrelas
Compre Aqui.

No final da Segunda Guerra Mundial, Jack Baker, um garoto do Estado de Kansas, nos Estados Unidos, é subitamente obrigado a se mudar após a morte de sua mãe e é colocado em um colégio interno para garotos no Estado do Maine. Lá, Jack encontra Early Auden, o mais estranho dos garotos, que lê o número pi como uma estória e coleciona recortes de jornais sobre aparições de um grande urso preto nas montanhas próximas. Recém-chegado, Jack se sente perdido não consegue evitar se sentir ligado a Early, que não acredita no que todos aceitam como verdade em relação ao Grande Urso Apalache, cascavéis e o lendário herói do colégio conhecido como Fish, que nunca retornou da guerra. Quando os garotos encontram-se inesperadamente sozinhos no colégio, eles embarcam em uma jornada na Trilha Apalache em busca do grande urso preto. Mas o que eles estão procurando às vezes é diferente do que eles encontram. Eles conhecerão pessoas verdadeiramente estranhas, cada uma delas relacionadas a história de PI que Early vai revelando conforme eles viajam, enquanto vão descobrindo coisas que eles nunca perceberam sobre si mesmo e sobre outras pessoas em suas vidas.

Sobre a autora: Clare Vanderpool adora ler, pesquisar e viajar. Foi a primeira autora estreante a receber o cobiçado prêmio Newbery Medal, da American Library Association, por Moon Over Manifest, seu livro de estreia. EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS é seu segundo romance. Comparado a clássicos como Huckleberry Finn, de Mark Twain, Em Algum Lugar nas Estrelas entrou na lista dos mais vendidos do New York Times e vem sendo adotado como um livro indispensável por várias escolas nos Estados Unidos. Uma leitura encantadora para leitores de todas as idades. Clare mora em Wichita, Kansas, com o marido e os quatro filhos do casal.

Resenha:Gostaria de começar essa resenha dizendo que vai ser difícil resumir aqui o quão maravilhoso é esse livro, que foi uma das melhores leituras desse ano, é livro que deve ser lido, apreciado e refletido... vou tentar colocar um pouco de como foi essa leitura para mim. Em algum lugar nas Estrelas é um livro infanto-juvenil, porém pode e deve ser lido por pessoas de todas as idades, trata sobre temas que nos fazem refletir e avaliar como vivemos nossa vida, as pessoas que estão ao nosso redor e como nossas histórias de vida podem ser completamente diferentes e ao mesmo tempo estarem relacionadas de alguma forma, o quanto nos esforçamos para entender coisas que não nos é familiar e aceitar as diferenças de cada um.



Jack Baker é um menino de 13 anos e que morou a vida inteira em Kansas, lá vivem os seus amigos, toda a sua vida está ali, porém sua mãe falece e ele se vê em casa com o pai que serve na Marinha e que ficou fora por 4 anos, o que torna a relação dos dois fria e distante, eles não se conhecem direito e a convivência se torna difícil. O pai de Jack, que deve partir novamente por conta do serviço nas Forças Armadas, resolve que a melhor solução é levar Jack para Maine, para estudar em um colégio interno para garotos, bem no estilo militar. Jack não pode contestar essa decisão e é então levado ao colégio, que fica próximo do Oceano, causando certo mal estar para Jack. Nesse novo colégio Jack precisa fazer novas amizades, porém ele é muito fechado, não conseguindo desenvolver uma conexão com os novos colegas, que em sua maioria passaram praticamente a vida inteira ali, o que faz com que Jack se sinta excluído e sozinho.


Durante uma atividade que deu errado para Jack ele encontra um garoto chamado Early Auden, esse encontro ocorre dentro da sala do zelador, que Early transformou em sua “oficina”, ali se encontram roupas, cama, livros, lousas com equações e desenhos, uma coleção de discos de vinil e uma vitrola. Jack estranha o fato de o menino viver ali e também de que ele não compareceu a nenhuma das aulas e aparentemente ninguém mais se importava com esse fato. Porém, Early foi extremamente gentil com Jack, lhe emprestou um uniforme e conversou com ele sobre algo em que vinha trabalhando: o número PI e como ele não pode deixar de ser infinito, apesar do que o professor deles ensinou em sala de aula.

Jack acha tudo muito confuso, mas decide não discutir com o garoto. Jack descobre também que Early é órfão, seu pai morreu vitima de um infarto e sua mãe morreu após o parto, então ele está sozinho no colégio, não possui mais ninguém, além disso, Early explica para Jack como costuma ouvir suas músicas seguindo a seguinte ordem: Mozart aos domingos, Louis Armstrong na segunda-feira, na terça-feira é sem música, quarta-feira é Frank Sinatra, quinta-feira sem música, sexta-feira é dia de Glenn Miller, sábado é sem músicas e nos dias de chuva ele sempre ouve Billie Holiday. E é aqui que começa a se desenvolver a relação de amizade entre os dois.

Eles começam a trabalhar juntos após o fiasco de Jack durante uma aula em que ele afundou um barco, Early passa então a lhe dar dicas e agir como se fosse uma espécie de treinador, além de ajudar Jack a construir a reformar o barco que ele afundou, para que possam participar de uma competição de regata que acontecerá em breve no colégio.

Durante o tempo em que passam juntos, Early começa a contar para Jack a história de Pi, que para ele não é apenas um número complexo, mas que na verdade narra a historia de um rapaz, ele é um navegador e enfrenta diversas aventuras pelo mundo, tendo como referência as constelações para guiar seu caminho, vivendo grandes perigos e também aprendendo muito sobre a vida.

Durante a competição, porém, as coisas ficam complicadas e acontece um fato que acaba por colocar a amizade deles em risco.


Após o episódio da competição de regata, todos os alunos foram para suas casas devido a um recesso nas aulas, porém Jack permaneceu no colégio, se sentindo sozinho, decidiu procurar Early a fim de se desculpar. Chegando lá ele encontra Early preparando-se para uma aventura, uma jornada em busca de Pi que ele acredita estar perdido, Jack acha tudo uma loucura e fica sem saber o que fazer, mas no fim decide se juntar a Early nesse jornada, uma parte por curiosidade, por não querer ficar sozinho e outra por também se preocupar com Early, que antes de partirem revelou à Jack um fato surpreendente e que o deixou sem saber o que pensar, ficando realmente preocupado com o amigo.

Eles iniciam então essa jornada pela Trilha Apalache em busca do grande urso preto que foi visto nas montanhas e que está sendo caçado em troca de uma grande recompensa e ao resgate de Pi. É durante essa jornada que a amizade entre os dois se fortalece, Jack passa a compreender melhor a forma como Early enxerga as coisas, passa a entender suas crises e procura ajuda-lo a superar.



A jornada dos garotos é repleta de perigos, eles encontram cascavéis, piratas, mas também encontram pessoas boas, que também tem suas historias de perdas e descobertas, e que acabam por ensinar coisas novas aos dois amigos. Conforme o livro vai avançando, a jornada deles se mistura em realidade e fantasia, ficando difícil diferenciar cada o que é real e o que não é e o final da jornada é surpreendente e emocionante.

A relação de amizade entre Jack e Early foi muito bem desenvolvida pela autora, ambos se sentiam perdidos e sozinhos e encontraram nessa amizade uma forma de superar um pouco desse sentimento.

É um livro que trata sobre perdas de forma natural, Jack muitas vezes se sentem com medo de acabar esquecendo como sua mãe era e procura sempre se lembrar de seus ensinamentos ou de como ela iria reagir com determinada atitude dele.

Early é incrível, muito inteligente, tem uma percepção diferente de tudo, mas consegue ser um personagem carismático, engraçado e marcante. A autora revelou que ele tem um tipo de autismo altamente funcional, ou seja, ele é excelente com números e equações, ele enxerga os números através de formas, cores e texturas.

Conforme eles avançam na jornada nós podemos aprender um pouco mais sobre cada um, e como eles acabam também aprendendo sobre eles mesmos, descobrindo que são capazes de coisas que nem imaginavam. Essa é aquele tipo de leitura que permanece com a gente por muito tempo, a gente se pega pensando na história, refletindo os seus ensinamentos e relembrando com carinho os personagens.

A autora soube desenvolver a narrativa de forma fluida, é ágil e quando a gente menos espera já tá na última página e nem viu o tempo passar. É um livro que eu recomendo muito.



A Editora Darkside Books mais uma vez está de parabéns, a edição está maravilhosa, me deixou encantada todos os detalhes bem pensados, desde a capa que revela referências da história, a diagramação está muito boa, cada capitulo tem uma constelação desenhada no início e também possui outras imagens relacionadas dentro do livro, encontrei apenas alguns erros de digitação, mas que não tiram o valor dessa incrível obra.

E é isso, se dependesse de mim poderia seguir falando desse livro por muito tempo, a Darkside disponibilizou uma playlist com os cantores que Early escutava, confira aqui.

Espero que gostem e que eu tenha conseguido passar pelo menos um pouco do quanto gostei desse livro. Ainda essa semana lançaremos um post com as melhores frases do livro. Até a próxima.

Esse título foi fornecido pela Editora Darkside Books, por meio da parceria que possuímos com a Editora.

Recomendado Para Você

2 comentários

Comente com o Facebook

Instagram