Resenha: Amor de Cordel - Andrea Marques

setembro 27, 2016 / Everton Assis /

Carol é o exemplo vivo que para o amor, não deveria existir barreiras.




Amor de Cordel
Escritora: Andrea Marques
Editora: Pandorga
Ano: 2016
Skoob | Compre Aqui
03 Estrelas

Aos 38 anos de idade, Carolina Borges achava que tinha a vida perfeita. Casada com Miguel, era feliz mesmo sem ter realizado o sonho da maternidade. No entanto, a convivência com o marido e seu bom desempenho profissional a deixavam satisfeita e segura. O destino lhe prega uma peça e, sem esperar, ela vê sua vida se modificar significativamente. Seu casamento chega ao fim, e sua carreira como terapeuta ocupacional, que sempre lhe proporcionou alegrias, passa a torturá-la. Isso acontece quando o jovem arquiteto Alexandre Bastos entra em seu consultório pela primeira vez, despertando em Carol sentimentos conflituosos que a farão repensar seus valores e a obrigarão a sair de sua zona de conforto para se arriscar em terrenos desconhecidos que poderão colocar em risco sua própria vida. Permeado por traições e intrigas, Amor de cordel é um romance contemporâneo que traz à tona assuntos do universo feminino, além de despertar a paixão até nas mulheres mais modernas e independentes.

Andrea Marques, 40 anos, é casada e tem uma filha de 2 anos. É formada em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal De São Carlos e, durante quinze anos, atendeu pessoas com sequelas neurológicas e ortopédicas em clínicas, centros de reabilitação e hospitais. Foi com base nas histórias de seus antigos pacientes e na própria história que teve inspiração para criar os personagens de Amor de Cordel.



Resenha: Em Amor de Cordel embarcamos na vida da Terapeuta Ocupacional Carolina que esta na casa dos 38 anos de idade, uma mulher madura e decidida que tinha um casamento de 14 anos ao lado de seu esposo Miguel e um bom trabalho, porém de uma hora para outra Miguel anuncia a separação. Agora, Carolina terá que enfrentar a vida de solteira, depois de tantos anos de casada. Ao que parece que a vida tira, ela pode dar algo melhor, Alexandre um sucedido arquiteto que chega para revirar a vida de Carol.

não tinha amigas, apenas algumas colegas no trabalho e outras na academia, mas ninguém em quem eu confiasse, meu porto seguro sempre foi meu marido, e agora ele queria a separação... Pag. 11



Ao contrário de outros clichês no qual vemos protagonistas que ainda estão se descobrindo, Carolina está longe disso, primeiramente ela mostra ser uma excelente profissional em sua área, até quando um de seus pacientes acaba balançando suas estruturas. Carol também transparece ser coerente e decidia em vários setores de sua vida é sempre presente para ajudar o próximo.

Mesmo com tanta experiência adquirida durante a sua vida, Carol não se livra de seus males que a deixam totalmente insegura consigo mesma (Em certos momentos chega a dar nos nervos). Na outra ponta dessa história temos o cara que vai ser responsável por trazer à tona vários sentimentos a ela. Alexandre o ‘garboso’ arquiteto, que chega na vida de Carol como seu paciente, porém, acaba sendo mais que isso. Carol o descreve como um verdadeiro modelo de revista e possuidor de vários atributos como: gentileza, educação, inteligência, romântico e sedutor, atributos que vocês, possivelmente sonharam um dia. Nesse momento, eu me esforçava para ler algumas cenas, pois eram beeeeeem melosas.

... Vagner ter me escolhido para atender seu amigo, pois ele era um colírio para qualquer mulher... Pag. 43

Quero destacar o quanto adorei conhecer mais sobre a profissão de Terapia Ocupacional (TO), as diferenças entre a Terapia Ocupacional e fisioterapia, e no que a TO pode ajudar o paciente. Nota 10 para a Andrea que sutilmente conseguiu dar destaque a profissão em uma determinada cena, sem deixar isso aleatório ou fora de contexto.



Outro destaque é como Andrea aborda em sua obra pela visão de Carol, os diversos preconceitos presente em nossa sociedade: a homofobia, a discriminação de idade e de classes sociais e também a falta de atenção que o governo tem com os idosos e deficientes em geral. Nossa protagonista vive na pele o preconceito de se relacionar com uma pessoa mais nova e de outra classe social.

Gustavo: Carol, eu te contei tudo isso para você não deixar que o preconceito destrua a sua felicidade.
Carol: Mas eu não sou preconceituosa
Gustavo: Você não é conosco, mas está sendo com você mesma... Pag. 94



Amor de Cordel vem para fortalecer que o amor não tem barreiras e que as vezes temos que baixar nossos escudos e viver isso da melhor forma possível, certos que nossos caminhos nem sempre serão flores, mas espinhos também.

  • Recomendado para pessoas:
    • que adoram histórias clichês;
    • se interessam por debates sobre o preconceito presente na sociedade;
    • buscam a superação;


  • Obs: Esse livro foi cortesia da Assessoria Editorial Lilian Comunica.

    Recomendado Para Você

    0 comentários

    Comente com o Facebook

    Instagram