Resenha: Sway - Kat Spears

novembro 04, 2016 / Redação SOODA /

Precisamos falar sobre SWAY e o seu negócio delinquente



Sway (Sway)
Autora: Kat Spears
Editora: Globo Alt (Globo Livros)
Ano: 2016
Skoob: 3,7 Estrelas / Goodreads: 3,65 Estrelas
Compre Aqui 04 Estrelas

Sway é o apelido de Jesse Alderman, por causa de seu talento para conseguir qualquer coisa para qualquer pessoa, como providenciar trabalhos escolares, fazer com que pessoas sejam expulsas da escola, arrumar cerveja para as festas, entre outras coisas, legais ou ilegais... É sabendo dessa fama que Ken Foster, o capitão do time de futebol da escola, pede a ele um trabalho controverso: Ken quer que Bridget Smalley saia com ele.
Com seu humor ácido e seu jeito politicamente incorreto de ver a vida, Sway terá que encarar o trabalho mais difícil que já teve: sufocar todos os sentimentos que Bridget desperta nele, a única menina verdadeiramente boa que ele conheceu em toda a sua vida.

Autora: Kat Spears já foi muitas coisas na vida, entre elas Batender. Hoje, casada e com três filhos, ela é autora de três novelas YA (Young Adult).


Você precisa de maconha, ou ecstasy? Sway consegue. Você precisa que alguém seja expulso da escola? Sway consegue. Você precisa de uma garota? Sway consegue. Você quer ser popular? Sway te torna. E o que Sway não pode fazer por você?

Sway está no último ano do Ensino Médio, ele sabe que sobreviver nesse local é algo complexo, ainda mais quando você tem uma mãe que morreu em uma situação controversa e um pai que resolveu se meter com a bebida, se tornando um alcoólatra. Então, Jesse Alderman (seu nome real) acabou se tornando um micro empresário da delinquência. Ele faz negócios do tipo:

DROGAS
Jesse tem um amigo, Digger que passa maconha para revender na escola, além disso ele vai com frequência na casa de Rob, um Skinhead que trabalha com ecstasy. Jesse leva as drogas para vender em algumas festas, alias, muita gente já espera por ele "para começar a se divertir". Rob já foi preso uma vez e com certeza é barra pesada, e não curtiria nadinha se Jesse decide para com o ramo do tráfico

NEGÓCIOS COM O DIRETOR
O diretor da escola precisa ter o controle dessa selva que é o Ensino Médio, porém alguns discentes dão mais trabalhos que outros, então vez ou outra Jesse é chamado pelo gestor da escola para fazer alguns servicinhos sujos, para que ele possa se manter "no topo" dessa cadeia estudantil

ENCONTROS
Jesse também vez ou outra é chamado para juntar casais, principalmente quando são "casos quase impossíveis", assim ele foi contratado pelo nerd da escola, para junta-lo com uma garota e também por um jogador super popular que queria ficar com Bridget, a garota mais bonita da escola, mas que não costumava dá papo para qualquer um, além de ser uma garota boa e altruísta, uma espécie de boa samaritana



Aparentemente, todos gostam de Sway, porém ele tem plena consciência que é por puro interesse, e também não acha ruim, afinal é bom para os negócios. Mas poderia alguém tornar Jesse uma pessoa melhor, que pensasse menos em seu negócio da delinquência e mais no amor? Eis que aparece esse trabalho com a garota Bridget.

Um dia Jesse a segue, e vai até um asilo, lá ele apronta com um velho que acaba ajudando-o na empreitada e assim se aproxima de Bridget, ele queria apenas algumas informações, porém o coração é algo que a gente não controla, e isso vale para os Bad Boys também. Ele descobre que essa garota, além de bonita e popular tem um irmão com paralisia cerebral, e acaba se aproximando do garoto, nascendo também uma amizade inesperada (afinal, não é de praxe uma amizade entre um Sway e um deficiente).

Ou seja, tudo começa a mudar nesse desenrolar da história. Jesse começa a perder o controle de seus negócios, da sua vida, de seus anos dedicados a delinquência. A questão é que os males da vida sempre cobram, e o preço não é barato. Aí fica a pergunta, será que esse Sway conseguirá passar por cima de tudo que ele conquistou e se tornar uma pessoa melhor?

A narrativa é toda realizada por Jesse, então constantemente o uso de palavras chulas, de frases tortas, cheias de sarcasmo e humor ácido tornam a história mais verossímel e divertida. O emprego de capítulos mais diretos com passagens de tempo significativa, fazem as 250 páginas do livro serem engolidas em poucas horas, afinal você quer saber o que de fato acontece com os personagens, seus destinos, seus desejos e suas verdades.

Apesar de não possuir um final surpreendente, você chega as últimas páginas bem satisfeito com os acontecimentos e alguns furos que acabam ocorrendo durante a história são até esquecidos ao fechar as páginas desse livro.

Essa edição da Globo Alt é bem satisfatória, com uma capa intrigante, além da diagramação e fonte que ajudam muito na leitura, fazendo a história se tornar ainda mais fluida para aqueles que querem ter uma tarde divertida com Jesse e sua galera.



Então recomendo esse livro para:

  • Pessoas que adoram protagonistas Bad Boys;
  • Histórias cheias de sacarmo e humor ácido;
  • Histórias de amor, nem tão fofas, nem tão dolorosas, meio termo

Esse livro é uma cortesia da Editora Globo Livros

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram