Especial: Belém 401 anos - Espaços onde a Literatura encontra a arte

janeiro 16, 2017 / Francisco Soares Chagas Neto /

Conheça agora dois novos espaços em Belém, onde a Literatura encontra-se com outros formatos artísticos



A Literatura é vista como um importante braço histórico e cultural de um povo. Muito do que sabe-se por exemplo, de várias questões ocorridas na Amazônia, através de histórias contadas e escritas. Porém, a prática de leitura, era algo extremamente restrito. Nas primeiras bibliotecas e livrarias do século XIX, as obras normalmente era em português, ou em outras línguas europeias. Aos poucos, essa dinâmica foi se modificando, mas a prática de leitura ainda é pequena entre os moradores da cidade de Belém.

Pensando nisso, no ano de 2016 surgiram alguns espaços na capital, voltados diretamente a essa prática, o qual nós do blogosfera também tentamos fazer aos poucos, através de nosso conteúdo. Esses espaços, unem livraria, sebos, saraus, discussões de temáticas voltadas a literatura, com outros formatos artísticos, ou até gastronômicos. Então neles é possível encontrar, exposições de arte, brechó, encontros musicais. Enfim, são espaços de confluências que agora mostramos a vocês:



CASA DO FAUNO:

Cravado em um casarão antigo no bairro do Reduto, atras do Shopping Boulevard, o espaço inaugurado em 2016, reúne música, literatura, brechó, gastronomia, galeria de arte entre outras manifestações culturais tudo no mesmo ambiente, possibilitando que o visitante tenha uma experiência cultural diferente de tudo aquilo que ele costuma fazer.

De acordo com Paula dos Anjos, Gerente comercial e criativa do brechó e da livraria, o espaço surgiu devido "a idealizadora Cleide Cunha, observar a carência de casas que trouxessem além do lazer, uma experiência mais estimulante nas pessoas. Lugares em que pudesse abraçar um tipo variado de pessoas. Um lugar onde todos possam se sentir a vontade, como uma segunda casa".



E pelo visto, a ideia da pluralidade tem dado certo. A livraria e Brechó, funcionam desde cedo, às 10h. Durante o almoço, existe um cardápio variado. E de quinta a sábado, a casa fica aberta até mais tarde, onde também é possível participar do Happy Hour, no horário da tarde e shows com artistas locais à noite. Claro, ainda sendo possível ver as exposições que ficam na parede próximo ao bar/restaurante.



A livraria/sebo é um espaço de grande importância na casa, de acordo com Paula, as pessoas vão para conhecer o acervo e podem, além de fazer sugestões, oferecer livros para vender. Além disso, parte do acervo é comprado em sebos e adquirido com várias editoras de todo país. Hoje, por exemplo é possível ver várias obras da editora Cosac Naify, que encerrou suas atividades em 2016, além de clássicos da literatura e até mesmo, obras bem mais famosas e recentes, voltadas ao público jovem e adulto.





SERVIÇO:
LOCALIZAÇÃO: R. Aristides Lobo, entre Benjamin Constant e Tv. Rui Barbosa
HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: Seg a Qua, de 10hs às 19hs e Qui a Sáb, de 10hs às 00h00. (Domingos e Feriados, consulte a programação no Facebook)
CONTATO: FACEBOOK, INSTAGRAM DA CASA DO FAUNO, INSTAGRAM DA LIVRARIA



LIVRARIA CAFÉ LITERÁRIO

Também instalado em um casarão antigo, mas na Avenida Magalhães Barata, quase ao lado do Parque da Residência, a Livraria Café Literário é um espaço, voltado iminentemente para a literatura, tendo uma programação toda voltada para esses fins, se tornando um espaço de encontro, entre os amantes dessa forma de arte, e aqueles que as produzem: os Escritores.

Segundo Claudio Cardoso, que sempre foi amante da literatura, o surgimento do espaço veio de um encadeamento de ações. Primeiro, quando ele se tornou o coordenador do Stand dos escritores paraenses na Feira Pan Amazônica do Livro (maior evento literário, do norte do Brasil). Ele percebia que após o evento, os livros ficavam encaixotados até a próxima edição do evento, foi quando há um pouco mais de quatro anos, ele abriu uma banca com esses livros, na feira da Praça da República, aos domingos (na Rua Osvaldo Cruz, perto ao Anfiteatro). Mesmo assim, ficava uma lacuna, nos outros dias da semana, e depois de muito esforço ele conseguiu esse espaço que tem cerca de seis meses, e montando assim a sua livraria.



A livraria possui em seu acervo, basicamente autores paraenses, sendo ficção, não-ficção, acadêmicos, crônicas, poesias, abrindo-se exceção para a sessão de cordéis, onde é possível encontrar obras de todo o país, alias Claudio afirma que adora recitar os cordéis, e assim o faz em algumas das sextas-feiras durante o café literário.

As programações culturais, ocorrem hoje, principalmente as quartas com exibição de filmes voltados a literatura e as sextas, onde literatura se encontra com outras vertentes culturais, então ocorrem saraús, apresentação de dança, música, declamação de poesias e muito mais. Nos outros dias da semana, também podem ocorrer palestras, mini-cursos, oficinas (fiquem atentos à programação no facebook). Claro, se você quiser que sua programação faça parte do projeto, é só entrar em contato com o Claudio.





Além de escritor, Claudio Cardoso possui uma editora, que funciona no mesmo espaço, a Cromos, então se você tem o desejo de publicar a sua obra, entre em contato com ele também, pois com certeza ele irá ajuda-lo nessa empreitada.



SERVIÇO:
LOCALIZAÇÃO: Av. Magalhães Barata, entre Tv. 14 de Abril e Tv. 3 de Maio (Altos)
HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: De seg. a qui. de 08hs às 18hs e as Sex. de 08hs às 20hs (Café Literário a partir das 18hs)
CONTATO: contato@editoracromos.com.br/ editora_cromos@hotmail.com, Facebook do Projeto

Então é isso pessoal, esperamos que vocês tenham oportunidade de conhecer esses projetos e assim comemorar os 401 anos de Belém, vivendo um ano mais literário, que tal?

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram