Resenha: Lumberjanes - Stevenson, Ellus, Watters, Allen

janeiro 31, 2017 / Redação SOODA /

Quando a representatividade nos quadrinhos importa e se torna a principal diferença entre as HQ´s tradicionais



Lumberjanes - Cuidado com o Sagrado Gatinho (Lumberjanes, Vol. 1: Beware the Kitten Holy)
HQ #01 de 08
Autoras: Stevenson, Ellus, Watters e Allen
Editora: Devir
Skoob: 3,9 Estrelas
Goodreads:3,93 Estrelas
Compre Aqui
4 Estrelas
Sinopse: Lumberjanes é uma série em quadrinhos que acompanha as aventuras de cinco amigas que vão passar o verão num acampamento de escoteiros. Lá, elas se deparam com estranhas criaturas, fenômenos sobrenaturais e um mistério que terão que desvendar! Concebida originalmente como uma minissérie em oito partes, o título fez tanto sucesso nos Estados Unidos, que virou uma série mensal. Vencedora do prêmio Eisner (o Oscar dos quadrinhos) de Melhor Nova Série e de Melhor Série para Adolescentes, a história conquistou leitores de todas as idades e a aclamação da crítica, especialmente por ser uma HQ criada por mulheres e protagonizada por personagens femininas.

A luta pela representatividade feminina nos quadrinhos tem crescendo. Antes, com raras exceções, elas eram vistas sob a ótica de que precisavam ser salva sempre, o sexo frágil, ou ainda como "as gostosonas". Porém isso tem mudado, como o surgimento das figuras femininas, como a Thor, a mulher de ferro superior, entre outras. Além da mudança de universo de personagens como a Mulher Maravilha. Porém, como toda mudança, essa tem surgido muitas criticas, especialmente de uma classe conservadora de leitores de quadrinhos (parece antagônico, mas não é), os quais questionam a mudança de gênero de personagens e não a criação de novos. Pensando nesse aspectos, trazemos hoje, a HQ Lumberjanes, que a meu ver, além de ser uma ótima história, é uma carta de artistas feministas ao machistas de plantão.



A história se passa num acampamento para meninas, criado por mulheres (algumas lenhadoras), que viram a necessidade de mostrar as meninas o mundo real, assim, como os acampamentos masculinos. Na obra conhecemos cinco garotas: Jo, April, Mal, Molly e Rippley que fazem parte da Casa Roanoke (olha a referência aí gente), elas vivem várias aventuras por serem relativamente exploradoras (tipo os Batutinhas).

O enredo começa com as garotas em meio a floresta, lutando com uma raposa de três olhos, depois de terem vistos umas luzes que as levaram até um urso. Desde esse inicio, percebe-se que as jovens apesar de estarem em pânico, mas juntas conseguem derrotar os perigos. E assim segue em uma caverna, em meio ao lago, com um monstro, encontro com Pé Grande, e até mesmo uma parada em um acampamento só para garotos, que por sinal são bem educados (o contrário delas), que acaba por gerar uma grande desconfiança delas. Afinal, quem são eles? por que esses comportamentos? Do que eles são capazes?



A cada página virada é uma diversão a mais, e apesar do enredo não ser nenhum pouco imprevisível, o que torna interessante, com certeza é a inversão da aventura para as meninas. Alias, temos várias personalidades entre as garotas, a "meio travada" intelectualmente, a mais esperta, a mais aventureira, a fresca, e duas delas podem estar começando a ter sentimentos um pouco maiores que a amizade.

Outro ponto interessante, são as referências, que ao invés de dizer "Aí Meu Deus", dizem "Santa Mãe Jeminson", ou outras figuras relacionadas a luta feminista.

Como existem outros quadrinhos, é difícil você chegar ao final, sem vontade de querer continuar a história e gargalhar muito com essas garotas. Infelizmente, no Brasil só foi lançado a primeira edição, porém se você sabe ler em inglês, é sortudo. Porque a vontade de continuar com as Lumberjanes depois de terminar a história é das maiores.



Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram