Resenha: Sing - Vivi Greene

janeiro 06, 2017 / Redação SOODA /

Uma história de amor com uma pitada de fama e emoção



Sing: Uma Canção de Amor (Sing)
Autora: Vivi Greene
Editora: Harper Collins Brasil
Ano: 2016
Skoob: 3,8 Estrelas / Goodreads: 3,5 Estrelas
Compre Aqui
04 Estrelas

DA cantora premiada e ícone do pop Lily Ross apresenta seus maiores hits e piores foras (porque para ela são sinônimos):
1. Agonia (O que sentiu quando o ex partiu seu coração em pedacinhos e ela nem sabia o que estava acontecendo.)
2. Fantasmas (Porque até pessoas famosas sofrem com namorados que simplesmente desaparecem. E é horrível da mesma forma.)
3. Gato Escaldado (Do ditado: “tem medo de água fria”. Ou seja, ela nunca mais vai sair com um ator ou músico na vida.) Mas este verão será diferente. Depois de ter seu coração partido mais uma vez, Lily precisa se afastar dos holofotes, e uma viagem com as melhores amigas parece perfeita. Três meses em uma ilhota perdida no litoral do Maine, com foco total em si mesma, sua música, seu novo disco... Tudo menos garotos.
Isto é, até que Lily conhece Noel Bradley, um cara doce, simples e completamente diferente de todos os homens com quem ela já saiu. De repente, o “verão da Lily” dá um giro de cento e oitenta graus, e ela se vê envolvida em uma paixão de verão arrebatadora e inesquecível.

Autora: Vivi Greene é viciada em cultura pop e vive em uma ilha na costa da Inglaterra.



O que teriam em comum as famosas atrizes, Giovanna Lancellotti, Perola Faria, Sophia Abraão e a super star Taylor Swift?? Elas adoram namorar. Isso mesmo, essas personalidades tem dificuldades em ficar solteiras, confessam que preferem estar em um relacionamento, e quando terminam sempre vem a mesma desculpa "Preciso de um tempo só para mim", assim como a protagonista de Sing, da autora Vivi Greene.

Nessa obra, somos imersos no mundo das celebridades, através da protagonista Lily Ross, uma cantora super famosa com músicas sempre presente nas paradas da Billboard, porém além de uma vida bastante atribulada com os fãs e a carreira, outra parte da sua história está longe de ser parada: Seus relacionamentos. Isso porque, a cantora é muito susceptível a namoros e a cada novo "boy", nasce um novo amor para a sua vida inteira, suas inspirações para a sua música, até que mais uma vez, esse namoro acaba. (Tá vendo amiga, não vai com muita sede ao pote).

Cansada disso, e com uma proposta de sua amiga, que também trabalha com ela, desde os tempos da escola, ela decide viajar para uma ilha bem distante, e assim se esconder por um período. Afinal de contas, elas não poderia lançar um álbum com o titulo de "Para Sempre", sendo que o "Para Sempre" dela tinha acabado, mais uma vez...



REVIRAVOLTA:

Lily achou que estaria finalmente longe de relacionamentos, apesar de que seu coração ainda tremia pelo último namoro, mas parecia enfim que ela estava se desintoxicando, até que aparece em sua vida: Noel. Um cara maravilhoso, super gente boa, e o melhor de tudo: que estava longe desse mundo dos famosos.

Ela passa então a ter ótimos momentos com ele, porém duas questões a impediam de continuar, ela tinha ido para ilha para ficar longe de relacionamentos, e suas amigas ficariam chateadas se descobrissem que ela se meteria com alguém e Noel, tinha uma vida privada, uma coisa que ele não gostaria de perder por nada nesse mundo. Será então que Lily conseguiria superar tudo isso para viver uma história de amor?



REFLEXÃO:

A história escrita por Vivi Greene e narrada em primeira pessoa, é bem leve com artifícios bem conhecidos dos apaixonados por romances. Porém, não é porque ela tem bastantes clichês que não te leve a várias reflexões, sobre a "Importância que damos a ter um relacionamento", ou "amadurecimento pessoal e profissional", "amizade", "companheirismo", entre outros pontos. Claro, são temas bem abordados nesse tipo de literatura, porém sempre vale ressaltar o valor do "Eu", que por vezes esquecemos, ou ainda deixamos passar, porque cobrimos os olhos pelo sentimento de paixão. Porém não paixão de alguém de fato, mas paixão em estar namorando, como se isso fosse essencial.

Enfim, ao final da história, chegamos com uma sensação de felicidade, alegria, sentimentos bacanas, tipico de quando a gente assiste uma comédia romântica no cinema, sendo uma obra então para fazer você rir, ficar aflito, rir e ficar feliz.

Então se você curte:


  • Obra que te traga alegrias;
  • Relacionamentos, que estão entre a graça e o aprendizado;
  • Livros amorzinho;


Com certeza essa história é para você.

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram