3 Livros para acompanhar o single Chained To The Rhythm

fevereiro 10, 2017 / Francisco Soares Chagas Neto /

Novo single da cantora Katy Perry nos chama para a sair de nossa bolha e vê os problemas ao nosso redor, e para isso selecionamos três livros que podem ajudar nessa jornada



"Acorrentados ao ritmo" um refrão que logo fixa em nossa mente, também não era para  menos. O novo single da cantora Katy Perry, escrito pela cantora Sia e cantado em parceria com o filho de Bob Marley, Skip Marley, chegou ao mundo na madrugada dessa sexta-feira e entoa um discurso politico para que a gente saia de nossas bolhas e enxergue o problema.


Pensando nisso, resolvemos através de nossa "bolha online" deixar três indicações que poderão deixa-los fora de suas zonas de conforto, e quem sabe "desacorrenta-los desse ritmo dos nossos dias atuais".

1984 - George Orwel

Lançado em 1948, a obra é uma distopia no qual a nossa sociedade é controladas pelo governo por teletelas. O livro faz intensas reflexões acerca do controle totalitário do Estado, do protecionismo exacerbado, da ceifa em nossas liberdades, e tudo com muita passividade da população. Após essa leitura, é difícil não olhar aos acontecimentos diários sem imaginar o caminho para qual estamos seguindo agora.

A RESPOSTA - Kathryn Stockett

Esse livro já foi adaptado aos cinemas sob o titulo de Histórias Cruzadas e seu enredo vai tratar sobre uma jornalista na década de 1960 que resolve escrever sobre as empregadas domésticas negras das famílias brancas dos Estados Unidos. Através dessa obra é fácil perceber que enquanto algumas pessoas tem um relativo conforto por ter todos os seus direitos, outras estão ao lado, mas recheadas de problemas de várias ordens. Ao final do livro, começamos olhar ao nosso redor e enxergar os invisíveis com uma outra lente. Afinal de contas, quantas pessoas passam por nós e não desfruta dos mesmos direitos que nós?

JOGOS VORAZES - Suzanne Collins

Essa obra também adaptada para um filme homônimo, irá tratar de uma sociedade que em todos os anos são realizados um jogo mortal, onde uma pessoa de cada distrito é levado a uma ilha, e eles enfrentam-se entre si até que reste somente um vivo. Uma das coisas mais interessantes de Jogos Vorazes é que enquanto a sociedade na capital tem uma boa vida e assiste aos jogos, usufruindo do melhor, os distritos sofrem e amargam cheio de problemas. De certa forma, até que ponto estamos em uma bolha semelhante a da capital da obra de Suzanne Collins?

Esperamos que tenham gostado de nosso post, e vamos sair de nossas bolhas, vamos nos libertar das correntes do ritmo, vamos enxergar os problemas e quem sabe, muda-los.

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram