Resenha: A Prisão do Rei - Victoria Aveyarad

março 29, 2017 / Redação SOODA /

A Prisão do Rei, terceiro livro da série Rainha Vermelha, veio trazer a guera, mas não somente entre vermelhos e prateados, e sim uma guerra civil, uma guerra entre os reinos, UMA GUERRA GERAL




Uma guerra, quase sempre é o último recurso a ser utilizado pelas nações, e quando chega-se esse momento é porque muitos laços se quebraram, outros se criaram, e dezenas de motivos foram dados. A Segunda Grande Guerra por exemplo, foram vários anos de instabilidade para ela de fato ocorrer, houve o surgimento do fascismo, nazismo, formação de alianças, até que em 1939, enfim iniciava-se. Levando consigo, muitas vidas. E assim foi a série Rainha Vermelha até aqui; traições, jogo de poder, disputas internas e externas, resistência, alianças, tudo está se formando para a chegada da Grande Guerra, e com certeza ela levará consigo muitas vidas.

Para quem ainda não conhece a série. Rainha Vermelha se passa em um futuro distante, onde a sociedade é divida pelo sangue. Os prateados possuem habilidades especiais, que o tornam superiores e os vermelhos não possuem essas habilidades, sendo oprimidos. Porém, Mare Barrow a protagonista da história, uma ladra que vive nas palafitas, acaba descobrindo que possui poderes, a questão é que ela é uma vermelha e isso poderá mexer com a ordem de como são as coisas.

Os prateados decidem leva-la para o castelo, sendo uma espécie de "cala boca". Lá ela percebe que eles são mesquinhos, cheios de arrogância e traições. Mare também conhece dois príncipes, o futuro rei de Norta Cal, e seu irmão Maven.

No final do primeiro livro ela sofre uma grande traição que a obriga a fugir com a Guarda Escarlate.

CONFIRA A RESENHA COMPLETA DE RAINHA VERMELHA AQUI

Em Espada de Vidro, Mare fica mais perto da Guarda Escarlate, a resistência à sociedade de vermelhos e prateados, porém ela percebe que ele não são exatamente pessoas bem intencionadas. Ela também precisa correr atras dos sanguenovos, pessoas que como ela, são vermelhos e possuem poderes. Porém, em uma armadilha do destino, ela se vê frente a frente àquele que um dia a traiu.

CONFIRA RESENHA COMPLETA DE ESPADA DE VIDRO

A partir daqui, haverá spoilers do primeiro e segundo livro...


Em a Prisão do Rei, Mare está de volta ao castelo, porém de uma maneira um tanto estranha. Ela é uma uma prisioneira, mas não de modo convencional, porque seu quarto possui um requinte de quem é Rainha, mas Silenciadores estão com ela todo o tempo, impedindo-a de usar seus poderes e algemada. Esse modo de prisioneira "com benefícios" ocorre porque o Rei Maven ainda é apaixonado por ela.



"O fantasma que me ama, do seu jeito perverso" p.109

Mas fiquem despreocupados, pois aqui não existe nada que se assemelha a "Síndrome de Estocolmo". Claro, existe bastante ressentimento em relação a traição que Maven fez lá no primeiro livro, mas Mare em nenhum momento teve algum sentimento a não ser fugir, ou matar o Rei Menino.

EXPANSÃO DO UNIVERSO

Apesar, de já ter havido várias menções anteriores sobre outros reinos. A partir desse livro eles começam a aparecer de fato. Ficamos por dentro da estrutura deles, como Lakeland, com quem Norta tem uma guerra a mais de 100 anos, e é bem estruturado, com um Rei que governa sob um grande território, e várias casas administram as províncias. Conhecemos também Piedmont, um território bastante fragilizado. E o misterioso Monfort, uma república democrática, que tem ajudado a Guarda Escarlate em sua resistência contra os prateados, porém, ainda não sabemos de fatos quais são seus interesses.



GUERRA CIVIL

"O reino de Norta, o reino de Rift, Piedmont, Lakeland. Prateados contra prateados, em disputas por pedaços cada vez menores." p.503

Com Maven no trono é natural que algumas casas não tenham tanto respeito por ele, especialmente devido as suas várias atitudes, pois apesar de extremamente astuto, o jovem Rei desconhece as nuances do poder, e sem a sua mãe para guia-lo fica cada vez pior ele manter a unidade e assim, várias casas se voltam contra o garoto, especialmente duas delas podem deixar a cara de vocês no chão.



A VERDADE SOBRE OS PRATEADOS

Talvez esse seja um dos maiores mistérios do livro, como os prateados adquiriram poderes. Apesar de não ser explicado exatamente o motivo, existem vários detalhes que já foram colocados pela autora na Prisão do Rei, e assim, vamos conhecendo até um pouco do passado da formação do Reino de Norta e que vai colocar um ponto de vista diferente sobre o que os prateados arrogantes achavam sobre si mesmo.



A PRISÃO DO REI E A METÁFORA DOS DIAS ATUAIS

Quem segue a autora Victoria Aveyard no Twitter sabe o quanto ela ficou decepcionada com a vitória do presidente norte americano Donald Trump, e claro confesso a vocês que uma das maiores expectativas sobre esse livro era sobre como ela colocaria isso em sua obra. É óbvio, que Rainha Vermelha, de certa forma possui uma critica social forte, especialmente sobre o opressor (prateados) e oprimidos (vermelhos) e o quanto devemos lutar pela igualdade, porém fiquei extremamente satisfeito com a seguinte trecho que simplesmente foi um tapa bem dado a nossa sociedade:

"Nasci um principe. Tive mais privilégios do que quase qualquer um aqui. Fui criado com serviçais que atendiam a qualquer aceno ou chamado e fui ensinado que o sangue deles, por causa de sua cor, indicava que eram menos importantes do que eu (...) Essas são palavras que todos nós ouvimos. E são mentiras. Mentiras convincentes, para tornar a nossa vida mais fácil ou apagar a nossa vergonha, enquanto tornam a existência deles insuportável" p.524


Esse tipo de trecho visto em uma obra de entretenimento, é uma das coisas que me faz amar a literatura, porque podemos produzir metáforas de nossa realidade, mostrar que estamos errados e que podemos, na verdade, devemos mudar.

Victória Aveyard tem alguns deslizes nas suas mais de 530 páginas? Sim, especialmente nas primeiras 100 páginas bem arrastadas de uma sofrência sem fim que quase me fizeram desistir da leitura. Porém depois que engrenou, percebi que o livro valeu bastante a pena. E sem dúvida para mim é o melhor entre os três já lançados pela autora.

A Prisão do Rei te aprisiona em um futuro recheado de poderes sobrenaturais, porém com muitas intrigas, traições, disputas, destruição e guerra que acaba sendo mais um espelho de nossa realidade, do que algo inimaginável. Agora é esperar, o resultado desse embolo e saber se nosso mundo será mais igual. Ops... Se o mundo de Rainha Vermelha será mais igual.

A Prisão do Rei (King´s Cage)
Rainha Vermelha #3 (Red Queen #3)
Autora: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Ano:2017
Skoob: 4,3 Estrelas / Goodreads: 4,11 Estrelas
Compre Aqui 04 Estrelas
Enquanto Mare tenta aguentar o peso sufocante das Pedras Silenciosas, o resto da Guarda Escarlate se organiza, treinando e expandindo. Com a rebelião cada vez mais forte, eles param de agir sob as sombras e se preparam para a guerra. Entre eles está Cal, um prateado em meio aos vermelhos. Incapaz de decidir a que lado dedicar sua lealdade, o príncipe exilado só tem uma certeza: ele não vai descansar enquanto não trouxer Mare de volta.
Autora: Victoria Aveyard cresceu em Massachusetts e frequentou a Universidade do Sul da Califórnia, em Los Angeles. Formou-se como roteirista e tenta combinar seu amor por história, explosões e heroínas fortes na sua escrita. Seus hobbies incluem a tarefa impossível de prever o que vai acontecer em As Crônicas de Gelo e Fogo, viajar e assistir a Netflix.

Recomendado Para Você

3 comentários

Comente com o Facebook

Instagram