Vem Aí - Ponte do Galo: Dalcidio Jurandir (Financiamento Colaborativo)

abril 11, 2017 / Redação SOODA /

Editora tenta por meio de financiamento colaborativo reeditar uma das obras da série "Ciclo do Extreme-Norte" lançada pela primeira vez em 1971




Está no ar desde o dia 07 de abril uma campanha de financiamento colaborativo que se propõe a relançar o livro Ponte do Galo, de um dos maiores escritores paraenses da 2° era modernista: Dalcidio Jurandir. A obra é dividida em duas partes que se passam em Cachoeira (Ilha do Marajó) e Belém, respectivamente, e narra a história de Alfredo, menino marajoara que sonha em ir para a cidade grande continuar seus estudos. Dalcídio explora na sua obra a região e seus habitantes, dando ênfase ao ser humano, seus medos, angústias, sentimentos e sobrevivência. É uma literatura que vai além do simples retrato da Amazônia.

O livro é o sétimo volume da série "Ciclo do Extremo-Norte" escrita pelo autor no período de 1941 e 1978, no qual três deles foram premiados pela Academia Brasileira de Letras. Vale ressaltar que apesar de fazer parte de uma série, o livro poderá ser lido sem qualquer prejuízo ao entendimento da obra.

CONVIDADOS PARA ESSE PROJETO

Além da obra reeditada do autor, vários extras irão compor a cerca de 250 páginas do livros, como o prefácio do pesquisador Paulo Nunes, que fez a sua tese de doutorado sobre o autor, além das ilustrações da artista plástica Paloma Franca Amorim , fotografia de capa do premiado fotografo Eliseu Pereira que já teve obras expostas no Museu do Louvre e o projeto gráfico de Dênis Girotto de Brito.

COMO VOCÊ PODE AJUDAR

Para financiar ao projeto do livro Ponte do Galo, você pode contribuir com valores a partir de R$ 10,00, sendo a chamada contribuição solidária, no qual não ganha nenhum tipo de recompensa. Porém, existem outros valores maiores como o de R$ 15,00, no qual você recebe um e-book, ou ainda de R$ 45,00 que ganha o livro + marcador, ou ainda outros maiores, no qual você pode ganhar posters, canecas e vários exemplares da obra. Maravilhoso, não?



DALCIDIO JURANDIR: UM RETRATO DA AMAZÔNIA BRASILEIRA

Nascido em 1909 Dalcidio Jurandir nasceu em Ponta de Pedras, município do Marajó e mais tarde veio a Belém do Pará para estudar. Depois disso, o agora jornalista foi ao Rio de Janeiro em 1928 retornando em 1931. Comunista declarado o autor passou por muitas perseguições na Era Vargas chegando a ser preso. Após essa experiência, escreveu o seu primeiro livro Chove nos Campos da Cachoeira, esse também foi o livro que introduziu a série "Ciclo do Extremo Norte".

Dolcídio é considerado para região amazônica, assim como Graciliano Ramos, Jorge Amado e Érico Veríssimo estão para as suas. Suas obras são de extrema relevância para a chamada segunda escola do modernismo, inclusive as obras "Marajó" e "Belém do Grão Pará" já foram leitura obrigatória para o vestibular da maior Universidade da Amazônia, a UFPA.

Ajudar na republicação das obras de Dalcidio Jurandir que ao longo dos anos acabaram caindo no ostracismo é contribuir não somente para a publicação de um livro, mas a reprodução de parte da cultura do interior, da capital, e especialmente do homem amazônida.



Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram