Lendo: Edgar Allan Poe: Medo Clássico [Volume 1] (Part 2)

junho 12, 2017 / Rosane Santos /

Nessa segunda parte do projeto Lendo Poe, vou comentar um pouco sobre como foi a leitura dos blocos Espectro da Morte e Narradores Homicidas.




Finalmente adentrei nesse mundo sombrio, cheio de mistérios e melancolia do genial Edgar Alan Poe. Confesso que pouco conhecia de suas obras então comecei com certo receio e tive um início meio complicado, porém aos poucos fui pegando o ritmo e a leitura começou a fluir muito bem.

+ Não sabe do que se trata este post? Confira o post de introdução ao projeto e una-se a está leitura


O Poço e o Pêndulo
Esse é o primeiro conto do livro, primeiro grande impacto. A narrativa aqui é de tirar o fôlego, de uma tensão tremenda. Enquanto vemos nosso narrador enclausurado, condenado a morte e sem esperanças de se ver outra vez livre, a cada passagem o sentimento de desespero toma conta do personagem e também do leitor.

Esse foi sem dúvidas um dos melhores contos que li até agora.

“Então, acalmei-me de repente e me pus a contemplar, com um sorriso, a morte cintilante – como uma criança diante de um brinquedo raro.” Pág. 45

A Queda da Casa de Usher
O conto é sobre Roderick Usher e sua irmã, os últimos proprietários da imponente e sombria casa do Usher, como era conhecida e que recebem a visita de um amigo (narrador) devido aos problemas de saúde que acometeram Roderick. Aqui o ritmo diminuiu um pouco, não me prendeu tanto quanto esperava.

Já ouvi dizer que para ler Poe é necessário que se dedique total atenção à leitura, de forma que se possam apreciar todas as sutilezas e a beleza da narrativa, então talvez o cansaço tenha interferido. Porém, é inegável que o suspense aqui nos deixa tensos a todo o momento, a aura sombria que cerca a narrativa causa arrepios.

A crescente loucura dos personagens e o mistério que cerca os fatos e nos faz querer entender o que se passa na mansão, mas ao mesmo tempo nos perguntamos: será que quero mesmo saber? O autor soube trabalhar bem o imaginário do leitor, sem dúvidas vale a pena ser lido.

“Não sei explicar – mas, à primeira vista da construção, um insuportável sentimento de angústia invadiu a minha alma.” Pág. 53

O baile da Morte Vermelha
Após o país ser assolado por uma terrível praga o Príncipe Prospero decide reunir seus amigos mais próximos e se isolar em um dos seus castelos mais seguros. Entretanto, a doença está ali, a espreita e o clima de suspense enriquece a trama e nos deixa ansiosos e nervosos e querendo chegar ao desfecho.

A descrição dos cenários, das pessoas, é feita de forma extremamente rica, você nem nota o tempo passar. Está no top 5 dos contos que mais gostei.

“E, então, a presença da Morte Vermelha foi reconhecida. Ela penetrara furtiva entre eles como um ladrão no meio da noite.” Pág. 81


O Gato Preto
Um dos contos mais famosos de Poe. Estava bem ansiosa por esse e não tinha muita ideia do que esperar, mas com certeza foi bem marcante. Narrado por um assassino, no decorrer da leitura a sua mente doentia vai ganhando novas formas tenebrosas e teve uma passagem em especial que foi dolorosa de ler (quem já leu deve imaginar qual é).



A questão da moral e da ética, a culpa por cometer tais atos tão violentos, tudo isso está presente aqui. Um dos contos mais ricos no sentido de reflexão sobre temas tão sombrios. A temática de a crueldade ser intrínseca ao homem é bem debatida e também a questão do alcoolismo, doença que causou grande sofrimento a Poe, então acredito que demonstre o receio do mesmo de se deixar sucumbir a tais instintos.

“[...] Contudo, com a mesma certeza com que creio em minha alma, acredito que a perversidade seja um dos impulsos primitivos do coração humano – uma de suas faculdades primárias indivisíveis, ou sentimentos, que fornecem direção ao caráter do Homem.” Pág. 88

O Barril de Amontillado
Esse conto retrata bem quanto o homem pode ser traiçoeiro e perverso, muitas vezes passando por cima da moral para conseguir aquilo que sua alma deseja, ainda que seja algo mesquinho e egoísta. Não gostei tanto desse, mas fiquei com um ódio tremendo do narrador, a crueldade em seus atos, difícil de digerir.

O Coração Delator
É um dos contos mais curtos, bem rápido de ler, mas não menos impressionante. A loucura vai tomando conta do narrador, que comete um ato extremo de violência levado pelos desejos de riqueza e egoísmo. O final é muito bem escrito e surpreende ver a que ponto a loucura do personagem o levou. Enfim, essas foram as minhas considerações da leitura dessa semana. Quem aí já leu algo do Poe? Comenta o que achou, vamos debater sobre a obra desse grande mestre.

Semana que vem tem mais, até lá.

Adquira o seu exemplar de Edgar Allan Poe: Medo Clássico através do nosso link exclusivo na Amazon é ajude a blog a crescer

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram