Lendo: Edgar Allan Poe: Medo Clássico [Volume 1] (Part 3)

junho 19, 2017 / Rosane Santos /

Chegamos na terceira parte do projeto Lendo Poe, vou comentar um pouco sobre como foi a leitura dos blocos Detetive Dupin e Mulheres Etéreas.




Trazemos a penúltima parte do Projeto Lendo Edgar Alan Poe, a leitura está chegando ao fim e confesso que estou querendo conhecer outras obras do autor, talvez finalmente dê uma chance para o livro que tenho dele aqui em inglês, agora que já pude me familiarizar com o seu estilo de escrita.

+ Não sabe do que se trata este post? Confira o post de introdução ao projeto e una-se a está leitura

Enfim, nessa semana damos seguimento aos seguintes blocos:


Bem, conforme pesquisei e também o próprio livro traz alguns comentários em relação esse fato, acredita-se que o mais famoso personagem criado por Sir Arthur Conan Doyle, o detetive Sherlock Holmes tenha sido inspirado no personagem de Poe: o detetive C. Auguste Dupin, além de também ter servido de inspirações para outros tantos personagens.

A narrativa é feita através de seu amigo, que permanece anônimo, com quem divide o apartamento. Dupin aparece em três histórias, todas presentes nesta edição da DarkSide: Os assassinatos na rua Morgue, O mistério de Marie Rogêt e A carta roubada.


Ilustração: Byam Shaw (1909)

Essas foram as histórias com as quais mais tive problemas. Não consegui adquiri o ritmo que tive nos outros contos, é arrastado, me perdi diversas vezes e tive que me forçar a finalizar a leitura. O personagem não me cativou e o desenvolvimento dos casos me pareceu sem sentido, ainda que se tenha buscado um raciocínio bem elaborado não consegui me convencer. A única história que me agradou um pouco foi “Os assassinatos na rua Morgue”.

As historias pareciam um tanto forçadas, demasiadamente longas, pareciam que não teriam mais fim. Demorei uns bons dias para concluir essa parte, foi bem decepcionante, infelizmente.

“Você me lembra o Dupin de Edgar Alan Poe. Não Fazia ideia de que indivíduos assim existissem fora da ficção”


Berenice
A edição da DarkSide traz a edição do conto com os quatro parágrafos que foram suprimidos pelo editora da época de sua publicação, em 1840. Traz na narrativa a história Egeu, que cresceu na mansão de sua família, adoentado e melancólico junto com sua prima Berenice, que ao contrário era cheia de vida, transbordando energia. Uma grave doença acomete Berenice, transformando-a, aos olhos de Egeu, em um ser quase onírico, que passa a lhe causar pavor e também se torna uma fonte de obsessão em relação a um detalhe em sua aparência.

Conforme a loucura vai tomando conta do personagem, sua obsessão chega ao ápice em um ato totalmente macabro. É um conto que prende, tem toda aquela atmosfera melancólica característica, o tom na medida certa entre o sobrenatural e o devaneio da mente de um homem. É sem duvidas um dos contos mais marcantes de Poe, eu diria que esse é quase uma leitura obrigatória.

Ligeia
Esse é um dos contos mais macabros, de arrepiar. Todo cheio de mistérios faz com que nos sentimos tão angustiados e desesperados quanto o protagonista. Aqui temos outra mulher bela, que encontra a morte, mas nem tudo é assim tão simples, obviamente. É difícil de falar sobre ele, é o tipo de deve ser lido para ser entendido e não me sinto capaz de colocar em palavras tudo o que ele transmite. Então o meu conselho é: leia.

Eleonora
Esse é o conto que encerra esse bloco, nas palavras de Marcia Heloisa esses contos representam o “triptico de mulheres vivas quase mortas que morrem e depois voltam à vida para, contraditoriamente, morrerem mais uma vez” pág. 17 (trecho retirado da introdução ao livro).

É um pouco diferente dos demais, pois traz um pouco de sentimento de esperança, de uma rendição. O personagem sofre a morte de sua amada, porém acredita que pode ser capaz de encontrar um novo amor. Uma suavizada, mas sem deixar de ter aquela pegada gótica e cheia de melancolia. Alguns acreditam que Poe tenha feito esse conto para consolar a si mesmo após a morte de sua esposa, para que pudesse acreditar de fato que poderia ser feliz com outra mulher.



Bom, essas foram as impressões da leitura dessa semana. Como falei, teve seus altos e baixos, mas acredito que em sua maior parte está sendo muito positivo.

Esse não é meu gênero literário mais lido, mas gosto de sempre procurar coisas novas e estou gostando bastante da experiência. Na próxima semana teremos a última parte do projeto e a leitura muito esperada de O Corvo. Espero que estejam gostando do projeto e participem contando suas experiências em relação a obra de Poe.

Até a próxima semana!

Adquira o seu exemplar de Edgar Allan Poe: Medo Clássico através do nosso link exclusivo na Amazon é ajude a blog a crescer

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram