Resenha: Quinze Dias - Vitor Martins

junho 22, 2017 / Francisco Soares Chagas Neto /

A obra retrata a construção de um relacionamento de dois jovens, sem deixar de tocar em temas como gordofobia, homoafetividade, e auto-aceitação mostrando que é necessário enfrentar os medos para ser feliz, algo essencial nos dias de hoje




Uma professora disse dias desses, na aula de Literatura e Comunicação, que se todas as disciplinas sumissem e salvassem a Literatura, a gente iria conseguir recuperar toda a história, geografia e outros detalhes que se apagaram da humanidade. Depois de ler Quinze Dias, do autor Vitor Martins, percebi que esse seria um dos livros, da atualidade, que deveríamos salva-lo para o futuro, caso a ditadura fundamentalista prevista em "Ninguem Nasce Herói" (Editora Seguinte) de fato chegue a acontecer (Desculpem, tive que fazer um inception, porque esses dois livros me marcaram muito, nessa semana de leitura).

A história apresenta um plot simples. Felipe é gordo e é lembrado disso todo dia na escola, por estudantes acostumados a avacalhar com pessoas que estão acima do peso. Sempre. (Sei bem como é isso se quiserem detalhes confira uma discussão sobre gordofobia que passei na adolescência). Então para ele, o melhor momento de sua vida é suas férias, onde ele ficará tranquilo em sua casa. Mas então ele tem uma surpresa. Sua mãe (MARAVILHOSA) decidiu hospedar Caio na casa deles por Quinze Dias. A questão é, Felipe tem um crush em Caio há muito tempo e não sabe se lidará bem com isso. Seus planos de assistir Netflix e Tv a cabo o mês inteiro foram por água abaixo.



Aí você me pergunta, Mas o que tem de tão especial nessa história, que tenho que guarda-lá em uma ditadura fundamentalista?

Vamos por parte:

A OBRA RETRATA A CONSTRUÇÃO DE UM RELACIONAMENTO EM MEIO A INTERNET 2.0

Não é mais segredo para ninguém que a internet está presente em nossas vidas e mudou radicalmente nossas relações sócio-culturais, e Vitor consegue colocar isso fortemente na sua história. Ela é perceptível e fundamental nessa história, desde as dificuldades de relacionamento de Felipe com outras pessoas, ou ainda quando suas dúvidas surgem ele não exita em procurar respostas no google, e também os momentos constrangedores que as vezes acontecem, as pessoas correm para celulares para se esconder. Que jovem, não se identifica com um desses aspectos de alguma forma? Alias, uma das coisas mais interessantes nesse livro, foi que Vitor, que é youtuber, acabou pontuando várias indicações de livros, filmes, inclusive colocando aquelas famosas listas, que muitos acessamos no Youtube. A a realidade de uma parcela enorme de jovens hoje em dia.



ANOS 10 DO SÉCULO XXI, PROBLEMAS DOS ANOS 10 DO SÉCULO XXI

Outro detalhe que não escapa da escrita de Vitor Martins são os problemas dos jovens dos dias de hoje. E como eles vem sendo lidados, entre jovens e seus pais. Felipe tem um problema considerável com relacionamentos, seja ele da ordem de namoros, ou amizade (daqui a pouco entro no mérito da questão). E essas questões vem sendo tratados por sua família, não como frescura, mas dava forma que deveria ser cuidado. E isso é muito bacana.

Além disso, duas grandes questões são retratadas de forma bem delicada e que espero que aqueles que ajudem a causar essas questões entendam. Homofobia e gordofobia. O primeiro, acontece em um nível bem maior com Caio do que com Felipe e isso o afeta de certa forma, e não estou falando somente de pessoas que são homofóbicas (esses são piores), mas práticas que se caracterizam como homofobia, aquele apelido depreciativo que é contundente, diário, que "seria" uma brincadeira, mas dói. Assim como, acontece com Felipe, simplesmente, porque ele é gordo. Porém, com uma diferença de que muitas pessoas falam "para o bem dele", sem perceber que isso machuca, que ninguém precisa ficar martelando todos os dias na cabeça do gordo que ele precisa emagrecer, precisa ser padrão. Alias, as pessoas controlam o que os magros comem, apenas pela "preocupação com a saúde"? Então porque fiscalizar a comida alheia só porque ele é gordo?



PERSONAGENS CATIVANTES

Todos os personagens que apareceram em mais de dois capítulos dessa história são maravilhosos. Felipe, que apesar de ser um garoto com problemas, leva a vida numa boa, com bom humor. E gente, as tiradas deles, referências, são bastante engraçadas. Meu Deus, fazia tempo que não ria tanto em um livro.

Caio também, alias Caio já é quase meu Crush literário (desculpe Simon, acho que você perdeu esse post), pois ele é sensato, sempre aberto a conversar, e apesar de "meio lerdinho" (não fui eu que disse) ele faz a coisa certa na hora certa. Gosto de pessoas assim.

Becca também é maravilhosa, linda, negra, gorda, empoderada. Ter pessoas assim ao nosso lado, sempre vale a pena. E sim, ela também sofre, como todo o ser humano. Mas, sabe aquela pessoa que sofre na hora certa? É ela. Já a Sua namorada, já é um pouco mais contida, mas também é um amor de pessoa.

Rita, a mãe de Felipe. Olha, se Superhomem e Batman, tivessem uma Rita como essa em suas vidas, não teria Batman Vs. Superman. É o tipo de pessoa compreensiva, altruísta, e feliz. E uma das coisas mais interessantes nessa história é como ela conseguiu ser amiga de Felipe, de ter ele sempre ao seu lado, diferente da maioria de história LGBTQ+. E antes que você a compare com a mãe de Regina George. Não ela é legal de uma forma natural. Quer dizer, quase sempre. Ela é mãe



ESCRITA

Vitor Martins, definitivamente, sabe falar com o publico YA. É perceptível isso em seus videos no youtube, e agora bem mais lendo a sua história. As palavras são bem colocadas, e adequadas ao que os jovens dos dias de hoje, sem contar a fluidez de sua história. É um passeio ao lado de um amigo que sabe contar causos.

Porém, queria deixar aqui que a revisão, poderia ser um pouquinha atenta a alguns detalhes, como a repetição de palavras e também alguns parágrafos truncados ali próximo de 50% do livro, nada que atrapalhe na experiência do leitor que é compensada mil vezes pela história.



RESULTADO

Quinze Dias é uma história simples, escrita de modos a trazer o leitor para o interior dessa história, se enxergando em algum nível. Seja dos pequenos problemas de aceitação, gostos literários, cinematográficos e afins, ou então, pelo sofrimento que jovens gays e/ou gordos enfrentam todos os dias. Detalhe, deixando ao final uma mensagem de felicidade, que isso tudo é passageiro, que nós teremos sim a nossa felicidade. Basta a gente enfrentar os nossos medos.

Obs: Se você é professor, recomendo fortemente essa história para você passar em sua turma. Crianças, adolescentes e adultos precisam conhecer essa história.

Confira Playlist do livro criado por Vitor Martins:


Quinze Dias
Autor: Vitor Martins
Editora: Vitor Martins
Ano: 2017
Skoob: 4,8 Estrelas / Goodreads: 4,8 Estrelas
Compre Aqui
5 Estrelas
Felipe está esperando esse momento desde que as aulas começaram: o início das férias de julho. Finalmente ele vai poder passar alguns dias longe da escola e dos colegas que o maltratam. Os planos envolvem se afundar nos episódios atrasados de suas séries favoritas, colocar a leitura em dia e aprender com tutoriais no YouTube coisas novas que ele nunca vai botar em prática. Mas as coisas fogem um pouquinho do controle quando a mãe de Felipe informa que concordou em hospedar Caio, o vizinho do 57, por longos quinze dias, enquanto os pais dele não voltam de uma viagem. Felipe entra em desespero porque a) Caio foi sua primeira paixãozinha na infância (e existe uma grande possibilidade dessa paixão não ter passado até hoje) e b) Felipe coleciona uma lista infinita de inseguranças e não tem a menor ideia de como interagir com o vizinho. Os dias que prometiam paz, tranquilidade e maratonas épicas de Netflix acabam trazendo um turbilhão de sentimentos, que obrigarão Felipe a mergulhar em todas as questões mal resolvidas que ele tem consigo mesmo.
Autor: Vitor Martins é ilustrador, leitor compulsivo, apaixonado por filmes, séries e pizza. Ele fala sobre todos esses assuntos (exceto pizza) em seu canal no Youtube. Mora em São Paulo, é dono de um gato chamado clarêncio e, infelizmente, não possuiu nenhum pijama legal em seu armário. Quinze dias é o seu primeiro livro.

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram