Resenha: Dumplin´- Julie Murphy

agosto 01, 2017 / Redação SOODA /

Um livro que mostra que para ajudar os outros é preciso estar bem consigo mesmo, com seu próprio corpo




Existem vários problemas que levam uma pessoa ser gorda. Má alimentação (boa parte culpa da nossa sociedade moderna), problemas hormonais, problemas neurológicos, ansiedade e por aí vai. Mas quando você ver uma pessoa gorda qual a primeira coisa que você pensa? Talvez: "Essa pessoa não cuida de si, ela precisa emagrecer". Ou então começam os comentários dos mais diversos tipos;

Um deles é aquele comentário "amigo": "Você precisa emagrecer é para o seu bem". Existem aqueles mais carismáticos: "Você tá fofinho, né?". E também é comum ouvir aqueles xingamentos, de quem está no padrão aceito socialmente: "Sua balofa, baleia fora d´água, rolha de poço, Oinc", e por aí vai. É como o protagonista de Quinze dias, do autor Vitor Martins fala que: as pessoas costumam ser criativas ao xingar gordos.

E sabe o que esses três tipos de comentários tem em comum? Nenhum deles está preocupado de fato com o gordo (a), pois na maioria dos casos as pessoas sequer procuram saber as motivações de uma pessoa está naquela condição. Só julgam, julgam e julgam... E quando não tem mais o que julgar, arranjam um jeito.

Então cabe ao gordo (a) tentar superar todos os estigmas imputados a ele (como o de preguiçoso), além dos problemas já vividos no dia-a-dia. Afinal de contas, a vida de um gordo (a) não para só pela condição de seu corpo. Os problemas não simplesmente somem. Ao contrário, eles se acumulam. Porque está acima do peso não é aceito socialmente. E nós sabemos que quase tudo que a sociedade marginaliza, acaba se tornando um grande preconceito.

E nesse contexto é que iremos conhecer a vida da protagonista Willowdean Dickson, uma jovem texana, apelidada de Dumplin´por sua mãe, uma ex-vencedora do concurso de Beleza "Miss Jovem Flor do Texas", um dos mais tradicionais concursos do Estado. Essa jovem é gorda e convive muito bem com isso. Com sua alto-estima lá em cima, sem ligar para o que as outras pessoas pensam a seu respeito. Até que ela se apaixona por um colega de trabalho e aos poucos se ver questionando sobre está fora do padrão daquela cidade. Com objetivo de provar que estão todos errados, ela e mais três amigas que também estão fora do padrão decidem participar do concurso esse ano. Mas o que parecia ser uma experiência de empoderamento, acaba potencializando vários problemas na vida de Dumplin´.



TENSÃO PRÉ-CONCURSO

É impressionante como somos tragados para os padrões sociais de uma forma, que até mesmo ao tentar fugir acabamos sendo inseridos. Por exemplo, a Dumplin´tinha tudo para continuar ignorando o concurso se sentindo "fora" desse universo que todo ano paira a sua casa. Mas, isso não acontece. Todo ano ela sente um impacto disso de alguma forma, ainda mais agora que a referência que ela tinha não estava mais presente. Com isso, ela vê que entrar no concurso parece ser o mais acertado, em vistas a enfrentar o padrão imposto de mulheres belas e glamourosas, porém vários problemas começam a aparecer. E muitos nascem da alto-estima que ela de fato não tem, apesar de fingir.

E nesse contexto é bom refletir que, se a gente objetiva ajudar outras pessoas com nossas atitudes, seria ideal que a gente estivesse bem conosco. E Dumplin´não estava bem com ela mesmo. A todo instante ela se subjulgava incapaz. E a cada novo problema que aparecia ela se via cada vez mais tragado para o interior da bolha da gordofobia. Até porque, muita gente estava disposta a ajuda-la. Suas novas amigas fora do padrão, sua grande amiga e até mesmo a sua mãe.

Sim, a mãe de Dumplin´tinha um jeito meio torto de querer ajudar a sua filha, porém ela tentava, apesar de ser difícil de lidar com essa circunstância, não porque ela era a organizadora do "Miss Jovem Flor do Texas" e prezava bastante pela beleza, mas porque sofreu bastante com a perda de alguém muito querido na família, pela obesidade, provocando assim muitas situações até constrangedoras para a sua filha.



O CONCURSO VAI PEGAR FOGO

Conforme a aproximação da data do concurso, as coisas a se tornam mais intensas. Especialmente os problemas que Dumplin´deve enfrentar para dar conta do recado no dia do concurso. E não digo de perder peso, mas de perder o medo de ser aceita, especialmente por aqueles que amam. (E por falar nisso, "Amiga sua louca, não cozinhe outras pessoas em banho maria, isso não faz bem").

E o dia do concurso chega, e agora não tem mais volta. Dumplin´precisa tirar de seu coração os sentimentos de outras pessoas e deixa somente o dela, o que ela sente. De preferência envolvido por uma boa música Country (Ela é fanzoca de Dolly Parton).

Ao final desse livro, tenho a sensação que de fato todos aprenderam em algum nível. Seja suas amigas, sua mãe, ou até mesmo de pessoas, as quais ela não gostava muito. Não é um livro com vilões. O principal antagonista dessa história, com certeza é a falta de alto-estima que ela possui, e que precisa reconhecer, para assim encontrar a sua felicidade diária. Seja ela gorda ou magra.

“Você não merece vencer nada, nem participar de qualquer concurso sem ir a luta, batalhar.Talvez as gordas, as mancas, ou as gengivudas e dentuças não costumem vencer concursos de beleza. Talvez não seja a norma. Mas o único jeito de mudar isso é marcando presença” (pg. 289)


DUMPLIN´ (DUMPLIN´)
Autora: Julie Murphy
Editora: Editora Valentina
Ano: 2017
Skoob: 4,5 Estrelas / Goodreads: 3,8 Estrelas
Compre Aqui
4 ESTRELAS
Especialmente para os fãs de John Green e Rainbow Rowell, apresentamos uma destemida heroína e sua inesquecível história sobre empoderamento feminino, bullying, relação mãe e filha, e a busca da autoaceitação. Sob um céu estrelado e ao som de Dolly Parton, questões como o primeiro beijo, a melhor amiga, a perda de alguém que amamos demais e “estou acima do peso e ninguém tem nada com isso” fazem de Dumplin’ um sucesso que mexerá com o seu coração. Para sempre. Gorda assumida, Willowdean Dickson (apelidada de Dumplin’ pela mãe, uma ex-miss) convive bem com o próprio corpo. Na companhia da melhor amiga, Ellen, uma beldade tipicamente americana, as coisas sempre deram certo... até Will arrumar um emprego numa lanchonete de fast-food. Lá, ela conhece Bo, o Garoto da Escola Particular... e ele é tudo de bom. Will não fica surpresa quando se sente atraída por Bo. Mas leva um tremendo susto quando descobre que a atração é recíproca. Ao contrário do que se imaginava – a relação com Bo aumentaria ainda mais a sua autoestima –, Will começa a duvidar de si mesma e temer a reação dos colegas da escola. É então que decide recuperar a autoconfiança fazendo a coisa mais surreal que consegue imaginar: inscreve-se no Concurso Miss Jovem Flor do Texas – junto com três amigas totalmente fora do padrão –, para mostrar ao mundo que merece pisar naquele palco tanto quanto qualquer magricela.
Autora: Julie Murphy nasceu em Connecticut, mas desde os 4 anos vive no Texas. Dumplin´é o seu segundo romance YA, porém depois disso já escreveu mais um livro e ambos tem sido sucesso no The New Yorker Times.

Recomendado Para Você

0 comentários

Comente com o Facebook

Instagram