Resenha: Eu sei por que o pássaro canta na gaiola - Maya Angelou

Eu sei por que o pássaro canta na gaiola não é apenas um livro, é uma experiência transformadora e profundamente necessária. Leiam.

agosto 12, 2019 - Postado Por: Rafael Lutty
Compartilhe:

Eu sei por que o pássaro canta na gaiola não é apenas um livro, é uma experiência transformadora e profundamente necessária. Leiam.

Eu sei por que o pássaro canta na gaiola, Maya Angelou, resenha, astral cultural

“Você pode me inscrever na História
Com as mentiras amargas que contar,
Você pode me arrastar no pó
Mas ainda assim, como o pó, eu vou me levantar.”

Marguerite Ann Johnson, mais conhecida como Maya Angelou, foi uma escritora, poeta, dançarina, atriz e cantora estadunidense que arrebatou milhares de leitores com suas poesias e seus livros autobiográficos. Entre suas obras, destaca-se “Eu se por que o pássaro canta na gaiola” (I Know Why the Caged Bird Sings). O título é uma citação do poema “Sympathy” do poeta norte-americano Paul Laurence Dunbar. O livro é o primeiro de uma série com sete autobiografias de Angelou.

Em Eu sei por que o pássaro canta na gaiola, acompanhamos a infância da pequena Maya, em Stamps no Arkansas, para onde foi enviada com seu irmão Bailey para ser criada por sua avó após a separação dos pais. A avó de Maya era a dona de um mercadinho que conseguiu sobreviver à depressão de 1930 nos EUA. Uma das únicas mulheres negras empreendedoras. Ela ajudava a comunidade e chegava a emprestar dinheiro até para pessoas brancas.

Maya e seu irmão dividiam-se entre as tarefas escolares, a igreja e a ajuda no mercadinho da avó. É neste cotidiano da região sulista - e predominantemente negra – que acompanhamos as relações raciais existentes na época. Aos oito anos, Maya e o irmão foram enviados para morar com a mãe, e foi neste cenário que ocorreu uma das experiências mais traumáticas de sua vida: o estupro, por parte do namorado da mãe.

“Você pode me fuzilar com suas palavras,
E me cortar com o seu olhar
Você pode me matar com o seu ódio,
Mas assim, como o ar, eu vou me levantar”

Após esse trágico evento, Maya volta a morar com a avó e torna-se uma garota silenciosa e insegura com tudo, volta-se para a leitura como forma de lidar com trauma. Nesse processo, ela conhece uma mulher que a ensina a importância de estudar e de ter a própria voz. É quando Maya quebra o silêncio e torna-se uma garota com sonhos maiores. Ler “Eu sei por que o pássaro canta na gaiola” não é uma jornada simples. Temas como estupro, racismo, gravidez na adolescência e pobreza, são abordados a partir de uma narrativa simples que não usa de floreios para contar a história.

Publicado inicialmente em 1969, o livro havia sido lançado no Brasil em 2009, pela editora José Olympio. Ficou esgotado por alguns anos até ganhar nova edição pelo clube de assinaturas TAG em 2018 e no mesmo ano ganhou edição pela Astral Cultural, atualmente é encontrado em todas as livrarias.

Eu sei por que o pássaro canta na gaiola, Maya Angelou, resenha, astral cultural

Maya Angelou foi amiga e admirada pelos maiores nomes da luta negra no século XX como Martin Luther King Jr. e o escritor James Baldwin. Ela também foi a primeira mulher negra a conduzir um bonde em São Francisco. Maya faleceu em 2014, aos 86 anos. Suas autobiografias constroem não somente um autorretrato, mas refletem também a realidade de ser negro em um período de grande segregação nos EUA.

“Eu sou um oceano negro, vasto e irrequieto,
Indo e vindo contra as marés, eu me levanto.
Deixando para trás noites de terror e medo
Eu me levanto
Em uma madrugada que é maravilhosamente clara
Eu me levanto
Trazendo os dons que meus ancestrais deram,
Eu sou o sonho e as esperanças dos escravos.
Eu me levanto
Eu me levanto
Eu me levanto!”

*Os versos no meio do texto, são do poema “Still i rise” de autoria de Maya Angelou.
Gostaram? que tal aproveitar pra conseguir uma edição com um preço especial? É só clicar aqui e adquirir o seu exemplar!
Eu sei por que o pássaro canta na gaiola (I Know Why the Caged Bird Sings)
Autora: Maya Angelou
Editora: Astral Cultural
Ano: 2018
Skoob: 4.5 estrelas / Goodreads: 4.2 estrelas
Compre Aqui: Amazon
05 Estrelas
RACISMO. ABUSO. LIBERTAÇÃO. A vida de Marguerite Ann Johnson foi marcada por essas três palavras. A garota negra, criada no sul por sua avó paterna, carregou consigo um enorme fardo que foi aliviado apenas pela literatura e por tudo aquilo que ela pôde lhe trazer: conforto através das palavras.
Dessa forma, Maya, como era carinhosamente chamada, escreve para exibir sua voz e libertar-se das grades que foram colocadas em sua vida. As lembranças dolorosas e as descobertas de Angelou estão contidas e eternizadas nas páginas desta obra densa e necessária, dando voz aos jovens que um dia foram, assim como ela, fadados a uma vida dura e cheia de preconceitos. Com uma escrita poética e poderosa, a obra toca, emociona e transforma profundamente o espírito e o pensamento de quem a lê.
Autora: Maya Angelou foi criada em Stamps, Arkansas. Além das autobiografias que se tornaram best-sellers, que incluem Eu sei por que o pássaro canta na gaiola e The Heart of a Woman, ela escreveu vários outros livros de poesia, dentre eles Phenomenal Woman, And Still I Rise, On the Pulse Morning e Mother. Maya Angelou faleceu em 2014.

Comente com o Facebook