Resenha: O Dia de Julio - Gilbert Hernandez

Uma história que atravessa um século de vida e nos entrega intensas reflexões sobre experiências e como elas impactam a nossa existência e de todos ao nosso redor

agosto 01, 2019 - Postado Por: Francisco Neto
Compartilhe:

Uma história que atravessa um século de vida e nos entrega intensas reflexões sobre experiências e como elas impactam a nossa existência e de todos ao nosso redor




A história é construída por meio de conexões. Ações diárias se conectam em fatos que podem se tornar significativo na vida de milhões de pessoas. Quer ver um exemplo? veja cinco fatos abaixo, depois diga se eles afetaram a sua vida de forma significativa:



Agora imagine, como fatos históricos e sociais afetaram a construção de um ser humano, ao longo de um século. Esse é um dos principais motes de "O Dia de Julio", HQ escrita e ilustrada por Gilbert Hernandez, um exemplo de que literatura pode está envolvida nos mais diversos campos, inclusive, das histórias em quadrinhos.

A história é simples, nela conhecemos Julio, nascido no inicio do século XX, um descendente de mexicanos que trabalha no campo, teve uma vida toda construída no interior dos Estados Unidos. Em um pouco mais de 100 páginas vemos desde o nascimento até a sua morte. Uma existência que durou 100 anos. Na história é possível conhecer fatos de sua vida que são influenciados pela história, assim como as suas experiências que se intercalam por todas as pessoas ao seu redor, mostrando o quão o nosso mundo está conectado.



Ao passear pela história de Julio, é quase impossível não se conectar com ela de alguma forma, afinal de contas, todos nós, provavelmente já vivenciamos ou viveremos uma infância e suas peraltices, uma adolescência e suas transformações, as escolhas da fase adulta, e as perdas, principalmente no final da vida. Essas são fases que lidamos com conflitos nas relações, sejam familiares ou afetivas; desejo por coisas que não podemos ter; fatores históricos que nos impactam sem que possamos controlar; dores e luta que vão estar sempre presentes.

Porém, o detalhe dessa história, é como Julio lida com todas essas questões. Os problemas caem em sua cabeça e ele tenta supera-los, como muito bom humor e vontade de viver. Apesar de que sentimos que ele não consegue ser completo, pois, ele não consegue desabrochar o seu verdadeiro EU. E isso o trava para de maneira que ele não possa atingir a sua felicidade completa. Em defesa dele, a culpa disso, não é dele mesmo, mas da pressão ao seu redor. Afinal de contas, todos nós, seres humanos, temos necessidades que são sempre ceifadas de alguma forma, principalmente pela pressão social existente.

Ao mesmo tempo, no decorrer dos anos, percebe-se que a sociedade começa a mudar, impactando principalmente a geração mais jovem, possibilitando que Julio possa se libertar de suas amarras. A questão é que tudo aquilo que foi vivenciado antes, o deixa travado. Isso acontece, porque, quanto mais se vive, menos a maioria dos seres humanos estão propensos a mudança e saída de sua zona de conforto. Experiências causam isso.



A HISTÓRIA IMPACTANDO SOBRE SERES HUMANOS COMUNS

Sabe-se que muitos fatos históricos afetam a vida cotidiana das pessoas. Porém, as vezes perde-se um pouco esse direcionamento, porque somos apresentados a generalidade da história, onde conhecemos mais sobre o todo e pouco sobre as experiências únicas. Essa HQ relembra, como a guerra pode afetar a vida de uma pessoa, de uma família, assim como epidemias, crises econômicas, revoluções culturais.

Esse é um dos pontos chaves que aproximam essa HQ de grandes obras literárias. A capacidade do autor em criar uma narrativa que prende o leitor sobre a obra, criando-o sentimentos pelo personagem, e ao mesmo tempo, trazendo aspectos de realidade do dia-a-dia, refletindo sobre os vários aspectos sócio-culturais, e comportamento humano.

E isso não se reflete apenas nos aspectos verbais, como também os não-verbais. Os traços dos personagens, as expressões faciais, a composição de cada quadro. Tudo isso se reflete sobre o objetivo que o autor queria ao construir suas histórias. Como por exemplo, a história iniciar e terminar com quadros totalmente pretos indicando o ciclo da vida. Tudo é bem pensado para se criar uma experiência única nos leitores.

Ao terminar O Dia de Julio é difícil não conceber grandes reflexões sobre essa HQ, discussões essas que pode transcender o campo da leitura espalhando-se pela compreensão do quanto somos e até onde podemos ser pessoas felizes, apesar de tudo que nos traga para o lado contrário. Se for necessário, porque não mudar? Afinal de contas, mudar significa tentar, que por consequência pode se transformar em conseguir, que com certeza será diferente da inércia de ficar parado... Eu prefiro a inércia de continuar em movimento, e você?


Gostaram? que tal aproveitar pra conseguir uma edição com um preço especial? É só clicar na imagem acima e adquirir o seu exemplar!!!

O Dia de Julio (Julio's Day)
Autor: Gilbert Hernandez
Editora: Nemo (Grupo Autêntica)
Ano: 2019
Skoob: 4.6 estrelas / Goodreads: 3.7 estrelas
Compre Aqui: Amazon
05 Estrelas
Tudo começa no ano 1900, com o choro de um recém-nascido, e termina cem páginas depois, no ano 2000, com os últimos suspiros de um homem de 100 anos. O dia de Julio (originalmente serializado em Love and Rockets Vol. 2, mas nunca completado até agora), é a última graphic novel de Gilbert Hernandez, uma obra-prima narrativa elíptica e emocional que traça uma vida – de fato, um século em uma vida humana – em uma série de vinhetas cuidadosamente trabalhadas, sempre surpreendentes e cativantes. Há esperança e alegria, há perseguição e luto, há guerra (muita guerra – trata-se, afinal, do século XX), há amor, há corações partidos. Esta é uma história singular e autônoma que contribui para sedimentar a posição de Hernandez como um dos mais importantes e originais cartunistas deste século, ou de qualquer outro

Comente com o Facebook