Resenha: O Prisioneiro do Céu - Carlos Ruiz Zafón

Trazendo um dos personagens mais complexos de O Cemitério dos Livros Esquecidos, O Prisioneiro do Céu vem para responder algumas perguntas e trazer novos mistérios.

agosto 05, 2019 - Postado Por: Rosane Santos
Compartilhe:

Trazendo um dos personagens mais complexos de O Cemitério dos Livros Esquecidos, O Prisioneiro do Céu vem para responder algumas perguntas e trazer novos mistérios.




Olha, é muito difícil resenhar Záfon sem ser repetitiva, mas esse cara é demais! Cada livro que leio fico mais impressionada com a escrita dele e com O Prisioneiro do Céu não foi diferente.

Clique aqui é confira a nossa resenha sobre "A Sombra do Vento", primeiro volume da série O Cemitério dos Livros Esquecidos.

Em O Prisioneiro do Céu temos destaque para a história de um dos personagens mais marcantes de A Sombra do Vento: Fermín. A narrativa se dá no ano de 1957 e podemos acompanhar um pouco o desenvolver dos acontecimentos de A Sombra do Vento e o que aconteceu com os personagens.

Clique aqui é confira a nossa resenha sobre "O Jogo do Anjo", segundo volume da série O Cemitério dos Livros Esquecidos.

A livraria Sempere e Filhos não está indo muito bem, Daniel, Sr Sempere e Fermín estão trabalhando duro para fazer as coisas melhorarem. Porém, num dia em que Daniel está sozinho na livraria entra um sujeito misterioso procurando por Fermín, Daniel logo suspeita de que algo está muito errado e que seu melhor amigo pode estar de alguma forma correndo perigo. O sujeito escolhe então o livro mais caro da livraria e pede para que seja entregue a Fermín e coloca uma enigmática dedicatória: "Para Fermín Romero de Torres, que retornou de entre os mortos e tem a chave do futuro".

As suspeitas de Daniel acabam por se confirmar e eles precisam então confiar um no outro para enfrentar o passado de Fermín, que voltou para prestar contas.

A narrativa é mais objetiva que nos demais livros, mas ainda é cheia de intrigas, mistérios e aquele ar sombrio e de suspense característicos da série. Somos transportados para Barcelona, em uma viagem que nos deixa sem fôlego e sedentos por mais, já que esse é um dos livros mais curtos da série.



Fermín se vê cercado por conflitos diversos: seu passado voltou para assombrá-lo e colocar em risco todos aqueles a quem ele tanto estima e para completar está prestes a casar com a mulher de sua vida e começa a se questionar se seria bom o suficiente, merecedor de felicidade.

Aqui nós temos uma narrativa que interliga diretamente os personagens principais de A Sombra do Vento, O Jogo do Anjo e O prisioneiro do céu. Respostas são dadas e novos mistérios precisam ser desvendados. Eu fico muito impressionada com a genialidade de Zafón com a série Cemitério dos Livros Esquecidos, ele consegue encaixar tudo perfeitamente e nos prende de uma forma inexplicável. Eu acabei de ler o livro e já fiquei querendo reler os outros porque ele tem esse dom de fazer a gente querer buscar as pistas que ele deixou, a forma como as narrativas se encontram e se completam, é um ciclo vicioso, na verdade.

Apesar de a série não possuir uma ordem de leitura definida, já que as narrativas são em certo ponto independentes, acredito que o primeiro contato com a série não deve ser com O Prisioneiro do Céu, ele conecta as pontas soltas dos outros livros, é como o elo que liga as histórias.



Para mim a ordem que mais me agrada até o momento seria: O Jogo do Anjo, A Sombra do Vento, O Prisioneiro do Céu e, por fim, O Labirinto dos Espíritos, mas é só uma sugestão de como funcionou para mim. E com sérios riscos de parecer repetitiva, tenho que dizer que Zafón não cansa de me surpreender em sua narrativa.

Gostaram? que tal aproveitar pra conseguir uma edição com um preço especial? É só clicar aqui e adquirir o seu exemplar!
O Prisioneiro do Céu (El prisionero del cielo)
Volume #3, O Cemitério dos Livros Esquecidos
Autor: Carlos Ruiz Zafón
Editora: Suma de Letras (Companhia das Letras)
Ano: 2017
Skoob: 4.4 estrelas / Goodreads: 4.0 estrelas
Compre Aqui: Amazon
04 Estrelas
Barcelona, 1957. É natal e os clientes são escassos na livraria Sempere & Filhos; as contas vêm se acumulando. É quando um homem com mão de porcelana visita a loja e compra o item mais caro: um exemplar raríssimo de O conde de Monte Cristo, onde deixa a dedicatória “Para Fermín Romero de Torres, que retornou de entre os mortos e tem a chave do futuro”. Este é o ponto de partida para que conheçamos mais da história de Fermín, incluindo seus anos no Castelo Montjuic, a prisão do governo Franco, na época gerenciada pelo nefasto Mauricio Valls. Com medo de que um segredo enterrado há vinte anos finalmente venha à tona, ele narra a Daniel suas tentativas de fuga da prisão, junto a um companheiro de cárcere. O prisioneiro do céu é uma história sobre prisão, tortura, inveja, traição e assassinato, onde as tramas de A sombra do vento e O jogo do anjo convergem para a resolução do enigma escondido no coração do Cemitério dos livros esquecidos.
Autor: Carlos Ruiz Zafón é um dos autores mais lidos e conhecidos em todo o mundo. Iniciou sua carreira literária em 1993 com O Príncipe da Névoa (Prêmio Edebé), seguido por “O palácio da meia-noite”, “As luzes de Setembro (reunidos em volume único chamado A Trilogia da Névoa) e Marina. Em 2001 publicou seu primeiro romance para adultos, A sombra do vento, que não demorou a se transformar em verdadeiro fenômeno literário internacional. Com O jogo do Anjo (2008), retorna ao universo do Cemitério dos Livros Esquecidos. Suas obras já foram traduzidas para mais de quarenta línguas e já conquistou inúmeros prêmios, além de milhões de leitores ao redor do mundo.

Comente com o Facebook